478kWh poupados com o Logótipo da MEO Energia Logótipo da MEO Energia
i

A opção Dark Mode permite-lhe poupar até 30% de bateria.

Reduza a sua pegada ecológica.
Saiba mais

Logótipo da MEO Energia

Adere à Fibra do MEO com a máxima velocidade desde 29.99/mês aqui.

A odisseia do xeque do Dubai a apanhar o metro em Londres

Este artigo tem mais de 5 anos

Mohammed bin Rashid, xeque do Dubai, só costuma ver o exterior do metro, quando passa nas avenidas e vê as estações. Mas decidiu ir com o filho, o príncipe herdeiro, experimentar. Foi uma aventura.

O xeque e o príncipe herdeiro viajaram no metro de Londres acompanhados por vários seguranças
i

O xeque e o príncipe herdeiro viajaram no metro de Londres acompanhados por vários seguranças

Twitter

O xeque e o príncipe herdeiro viajaram no metro de Londres acompanhados por vários seguranças

Twitter

Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Apanhar o metro não é propriamente a atividade mais habitual para o xeque do Dubai, Mohammed bin Rashid, e para o seu filho, o príncipe herdeiro Hamdan bin Mohammed Al Maktoum. Isso explica porque é que, quando apanharam o metro esta semana, divulgaram o momento nas redes sociais como se fosse uma odisseia.

Os dois estão habituados a ver o metro, quer o do seu país quer o de Londres, mas apenas quando passam no exterior das estações, conduzidos pelo seu motorista.

Agora, o xeque do Dubai e a sua família, que são proprietários de vários edifícios em Kensington e em Chelsea, no sul de Londres, decidiram fazer a experiência.

O príncipe Hamdan bin Mohammed Al Maktoum, conhecido como Fazza, escreve poesia e é muito seguido nas redes sociais. Acompanhado do seu pai, o xeque que lidera o Dubai, e de uma comitiva de seguranças, apanhou o metro e publicou diversas imagens na Internet, para mostrar que a família real também pode ser humilde.

Vestidos com t-shirts brancas e calças, muito diferentes com o traje habitual, o líder do Dubai e o seu herdeiro passaram por várias estações londrinas, e poucos perceberam que estavam à frente de dois dos homens mais poderosos do mundo.

A página está a demorar muito tempo.

Ofereça este artigo a um amigo

Enquanto assinante, tem para partilhar este mês.

A enviar artigo...

Artigo oferecido com sucesso

Ainda tem para partilhar este mês.

O seu amigo vai receber, nos próximos minutos, um e-mail com uma ligação para ler este artigo gratuitamente.

Ofereça artigos por mês ao ser assinante do Observador

Partilhe os seus artigos preferidos com os seus amigos.
Quem recebe só precisa de iniciar a sessão na conta Observador e poderá ler o artigo, mesmo que não seja assinante.

Este artigo foi-lhe oferecido pelo nosso assinante . Assine o Observador hoje, e tenha acesso ilimitado a todo o nosso conteúdo. Veja aqui as suas opções.

Atingiu o limite de artigos que pode oferecer

Já ofereceu artigos este mês.
A partir de 1 de poderá oferecer mais artigos aos seus amigos.

Aconteceu um erro

Por favor tente mais tarde.

Atenção

Este artigo só pode ser lido por um utilizador registado com o mesmo endereço de email que recebeu esta oferta.
Para conseguir ler o artigo inicie sessão com o endereço de email correto.