Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

É um dos modelos esteticamente mais personalizados da presente oferta da Mercedes. E, também por isso, um dos mais emblemáticos. Contudo, a actual geração do CLS, seja na versão coupé de quatro portas, seja na variante carrinha Shooting Brake de cinco portas, está a chegar ao fim da sua vida útil, o que levou a marca da estrela a criar uma edição especial do modelo, denominada Final Edition e que visa ajudar a escoar o final da sua produção.

Basicamente, e como já não é novidade neste domínio, os CLS Final Edition distinguem-se pelo seu equipamento enriquecido e por um preço mais competitivo do que aquele que seria praticado caso o cliente configurasse o veículo com os mesmos itens. De série, são incluídos elementos como bancos dianteiros em pele, volante desportivo com secção inferior plana, pedaleira em aço inox escovado, tecto de abrir em vidro escurecido, suspensão desportiva Direct Control e ópticas dianteiras adaptativas Multibeam Led. E ainda a AMG Line, que contempla a grelha do radiador cromada de efeito diamantado, pára-choques e saias laterais específicos, tomadas de ar desportivas, sistema de escape com ponteiras duplas em aço inox polido e jantes AMG de 19” pretas. Naturalmente, também não fata a sigla Final Edition colocada na carroçaria e nos tapetes interiores.

Na Alemanha, este pacote de equipamento acresce 8.211€ (IVA incluído) ao preço base dos modelos em que seja aplicado. Já a filial portuguesa da Mercedes decidiu não comercializar entre nós os CLS Final Edition, por considerar relativo o interesse que estes poderiam despertar junto do consumidor luso.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR