Pokémon GO

Jovem assassinado enquanto caçava Pokémons

153

Dois jovens na Guatemala foram baleados enquanto jogavam Pokémon GO. Um dos jovens, de 18 anos, morreu, enquanto o outro, de 17 anos, ficou gravemente ferido.

Jogadores para além de uma zona assinalada como perigosa, a jogar Pokémon GO

Getty Images

Um jovem de 18 anos foi assassinado enquanto procurava um pokémon com o jogo para smartphone Pokémon GO, esta terça-feira, na Guatemala.

O jovem procurava pokémons com um amigo de 17 anos na cidade de Chiquimula, durante a noite. Os dois foram baleados, tendo o jovem de 18 anos morrido, enquanto o outro ficou ferido com gravidade, informa o El Mundo.

Os disparos terão vindo de uma carrinha agrícola. Segundo as autoridades, foram encontrados 17 invólucros de bala no local. A polícia local informou ainda que as buscas pelos responsáveis estão a decorrer e que não se conhecem os motivos para o crime.

Esta não é a primeira vez que jogadores de Pokémon GO foram confrontados com disparos. Esta segunda-feira um homem disparou sobre dois jovens na Florida que invadiram o seu terreno durante a noite. O homem disparou sobre o carro que fugiu do local, não tendo ficado ninguém ferido.

O Pokémon GO é um jogo baseado nos videojogos produzidos pela Nintendo na década de 90. Os utilizadores são convidados a procurar os monstros nas ruas e tentar apanhar o máximo de espécies diferentes. O jogo já causou vários incidentes e acidentes.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Museus

Preservação do Património Cultural

Bernardo Cabral Meneses

As catástrofes ocorridas no Rio de Janeiro e em Paris deverão servir de exemplo para ser reforçada a segurança contra incêndios nos edifícios e em particular nos museus portugueses.

Sindicatos

Vivam as greves livres

Nuno Cerejeira Namora

Estes movimentos têm de ser encarados como o sintoma de um mal maior: a falência do sindicalismo tradicional e a sua incapacidade de dar resposta às legítimas aspirações dos seus filiados.

Sri Lanka

Ataque terrorista à geografia humana de Portugal

Vitório Rosário Cardoso

É quase indissociável desde o século XVI na Ásia marítima a questão de se ser católico e de se ser Português porque afirmando-se católico no Oriente era o mesmo que dizer ser-se Português. 

Museus

Preservação do Património Cultural

Bernardo Cabral Meneses

As catástrofes ocorridas no Rio de Janeiro e em Paris deverão servir de exemplo para ser reforçada a segurança contra incêndios nos edifícios e em particular nos museus portugueses.

Liberdades

Graus de liberdade /premium

Teresa Espassandim

Ninguém poderá afirmar que é inteiramente livre, que pouco ou nada o condiciona, como se a liberdade significasse tão só e apenas a ausência de submissão e de servidão.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)