As nossas mães sempre disseram: “cortar o cabelo só depois do verão”. E o conselho tinha uma lógica. Depois da exposição solar, da praia, da areia e da piscina, o cabelo bem merece um corte para se restabelecer de todas as agressões. Tudo o que faz bem à alma — como o sol e a água do mar — contribui para a desidratação dos fios, para a oxidação da cor, para as pontas espigadas e quebradiças e para o chamado cabelo de palha: aquela textura seca e áspera.

Relembramos cinco gestos que eventualmente está a fazer este verão e que, sem se aperceber, lhe estão a danificar o cabelo.

Usar penteados muito apertados

Nunca lhe aconteceu usar um coque o dia todo e ficar com o couro cabeludo sensibilizado e com uma ligeira dor quando solta o cabelo? Penteados muito apertados como coques ou o tão na moda apanhado samurai podem colocar alguma tensão no couro cabeludo, danificar os folículos dos fios, levar ao enfraquecimento do cabelo e, em casos mais extremos, à perda de cabelo nas zonas mais afetadas. O ideal será usar apanhados pouco apertados e elásticos sem aplicações de metal para não partir o cabelo.

Deixar o cabelo molhado

Sabe tão bem lavar o cabelo antes de dormir ou, depois de sair da água do mar, amarrá-lo num coque. Mas estes gestos inocentes que, no calor, nos aliviam, fazem mal. Por um lado, dormir com o cabelo molhado traz consigo um problema grave: a proliferação de fungos no ambiente quente e húmido de uma almofada durante horas e que pode estar na origem de caspa, entre noutros problemas. Por outro lado, quando o cabelo está molhado, pode dizer-se que está numa situação frágil e prendê-lo com elásticos ou ganchos vai parti-lo.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Só aplicar protetor capilar na praia

Tal como aplicamos protetor solar na pele todos os dias em que estamos ao sol — e não apenas quando estamos na praia –, o mesmo se aplica ao cabelo. Um cabelo danificado pelo sol tende a ressecar, a partir e a ter mais frizz. Além disso, e para quem pinta o cabelo, a radiação UV que entra pelas janelas de casa, do carro ou os cinco minutos que vai à varanda fumar um cigarro na hora de almoço, tudo contribui para o desbotamento da cor. Neste artigo demos algumas sugestões de protetores de cabelo com filtros solares para aplicar antes, durante e depois da exposição ao sol.

Deixar o cloro e o sal no cabelo

Mesmo depois de sair do mar ou da piscina e do cabelo secar, o sal e o cloro permanecem nos fios. E isso causa secura e danos nas cutículas, para além de deixar o cabelo frágil, quebradiço e emaranhado. O ideal seria passar sempre o cabelo por água da torneira depois de cada mergulho. À falta de chuveiros na praia, aplique bastante condicionador em spray antes de ir à água para criar uma espécie de barreira. Já existem no mercado imensas marcas que têm condicionadores em spray ou leave-in, exatamente para este propósito, como a Schwarzkopf ou L’Oréal Professionnel.

Não trocar a rotina de lavagem e cuidado

Não é só para nos fazer comprar novos produtos que as marcas criam gamas solares de champô, condicionador e máscara. As gamas solares têm ingredientes que preparam o cabelo para o sol, impedem a oxidação da cor, compensam os estragos dos últimos quatro gestos de que falámos e eliminam instantaneamente o sal, o cloro e a areia. Antes de entrar de férias, durante e depois deve mudar os seus produtos de banho habituais por linhas solares como a de O Boticário, Elvive ou Kérastase.