Rádio Observador

Cinema

Três filmes para ver esta semana

O quinto filme da série de animação "A Idade do Gelo", uma fita de terror rodada nos EUA por um realizador sueco e o novo "Caça-Fantasmas" são as escolhas desta semana de Eurico de Barros

A fauna pré-histórica da série "A Idade do Gelo" tem agora que evitar que a Terra seja destruída por asteróides

“A Idade do Gelo: O Big Bang”

Catorze anos depois do primeiro filme da série, estreado em 2002, o esquilo Scratch continua às voltas com a sua querida e adorada bolota. Desta vez, ela leva-o até ao espaço sideral, onde Scratch desencadeia inadvertidamente uma série de acontecimentos que causam uma chuva de asteróides, pondo a Terra em perigo. “A Idade do Gelo: O Big Bang”, realizado por Mike Thurmeier, desta feita sozinho ao leme da série, é a quinta longa-metragem das aventuras pré-históricas de Sid, Mike, Diego, Buck e restante fauna (sem contarmos as quatro curtas-metragens), e agora, os animais vão ter que tentar encontrar uma maneira de evitar que o planeta seja destruído pelos asteróides. Ray Romano, John Leguizamo, Denis Leary, Queen Latifah, Jennifer Lopez continuam a interpretar as vozes principais, e o elenco de “A Idade do Gelo: O Big Bang” recebe um convidado muito especial: o célebre astrofísico e cosmólogo Neil DeGrasse Tyson, que dá voz a uma doninha astrónoma chamada Neil DeBuck Weasel.

“Terror na Escuridão”

Tudo começou em 2013, na Suécia, quando o realizador David F. Sandberg rodou uma curta-metragem de terror com cerca de três minutos, “Lights Out” (pode ser vista no YouTube), onde uma mulher que se prepara para ir para a cama no seu apartamento, descobre que sempre que apaga a luz, vê uma sinistra silhueta feminina. Decide manter as luzes acesas, mas a sua arrepiante visitante sabe mexer em interruptores. “Lights Out” foi visto pelo realizador, argumentista e produtor americano James Wan, especializado em cinema de terror (“Saw-Enigma Mortal”, “Annabelle”, “Insidioso”, “A Evocação”), que propôs a Sandberg expandi-lo para uma longa-metragem, filmada nos EUA. Meu dito, meu feito, e eis “Terror na Escuridão”, uma aceitável e hábil série B de 80 minutos, que mantém a ideia-base da curta original como motor do clima e das situações de medo, e fazendo tudo depender das personagens conseguirem manter as luzes acesas. Sandberg e o seu co-argumentista Eric Heisserer até brincam com alguns “clichés” do género e a presença de Maria Bello é sempre um trunfo.

“Caça-Fantasmas”

Depois dos dois “Caça-Fantasmas” dos anos 80, realizados por Ivan Reitman e interpretados por Bill Murray, Dan Aykroyd, Harold Ramis e Ernie Hudson, eis que agora a série é reactivada por Paul Feig, mas com quatro mulheres nos papéis principais: Melissa McCarthy , Kristen Wiig, Kate McKinnon e Leslie Jones, uma escolha que criou um sururu nas redes sociais. Esta mudança de sexo das personagens das excêntricas cientistas que investigam fenómenos paranormais, implicou que este novo filme “finja” que os dois originais nunca existiram. O resto fica tudo praticamente igual, com o quarteto a ter, mais uma vez, que proteger Nova Iorque de uma terrível ameaça sobrenatural, desta vez desencadeada por um maluquinho com pancada apocalíptica. “”Caça-Fantasmas” foi escolhido como filme da semana pelo Observador, e pode ler a crítica aqui.

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)