Na sequência da declaração do presidente turco Tayyip Erdogan do estado de emergência na Turquia por três meses, foi também suspensa temporariamente a Convenção Europeia dos Direitos do Homem, noticia a Reuters.

A confirmação foi dada pelo vice-primeiro-ministro Numan Kurtulmus à cadeia de televisão NTV, refere a agência noticiosa.

A Turquia segue, assim o exemplo da França, que também suspendeu a convenção na sequência da declaração do estado de emergência após os atentados de 13 de novembro de 2015 em Paris e que François Hollande propôs que fossem estendido por mais três meses o estado de emergência.

O estado de três meses de emergência na Turquia foi anunciado na noite de quarta-feira, depois do golpe militar fracassado na semana passada.

Numan Kurtulmus disse também que o estado de emergência da Turquia poderia terminar dentro de um mês, a um mês e meio, segundo afirmações citadas pela NTV.

O vice-primeiro-ministro identificou falhas de inteligência “estruturais e individuais” durante a tentativa de golpe e acrescentou ao mesmo meio de comunicação que a reestruturação do exército turco iria prosseguir.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR