Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Líder mundial na venda de automóveis eléctricos, com mais de 340 mil veículos com emissões zero vendidos desde 2010, a Aliança Renault-Nissan acaba de tornar-se no mais recente membro do Conselho Económico Mundial para o Desenvolvimento Sustentado, juntando-se assim às mais de 200 empresas internacionais que compõem este organismo, cuja finalidade é promoção da sustentabilidade global.

A propósito desta nomeação, a Aliança destacou o seu compromisso para com a sustentabilidade, que considera um vector essencial da sua actividade, até por as decisões sustentáveis contribuírem para a inovação. Aproveitou ainda para realçar o seu objectivo de não só desenvolver o automóvel do futuro, como de apostar na condução autónoma, na conectividade e noutras tecnologias da próxima geração, com vista a alcançar a meta de emissões nulas e zero fatalidades nos seus veículos.

Incrementar a mobilidade e contribuir para a resolução dos mais importantes desafios ambientais e de segurança que hoje enfrenta a indústria automóvel, é outra das prioridades da Aliança Renault-Nissan, que assim espera contribuir para ajudar o Conselho Económico Mundial para o Desenvolvimento Sustentado a desempenhar um papel decisivo na criação de um futuro sustentável nos quase 200 países em que está presente.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR