O meio-irmão do presidente dos EUA, Malik Obama, anunciou que vai votar em Donald Trump nas eleições de novembro.

Malik, de 58 anos, que vive no Quénia — mas vota no estado americano do Maryland –, disse ao New York Post que gosta de Donald Trump “porque ele fala do coração”, e acrescentou que gostaria de o conhecer.

new york post cover

Ao jornal nova-iorquino, o meio-irmão de Barack Obama confessou o seu “profundo desapontamento” com o trabalho do atual presidente americano e apontou a morte de Kadafi, que considerava um dos seus melhores amigos, como um dos principais motivos. “Penso que livrarem-se de Kadafi não tornou as coisas melhores na Líbia. O meu irmão e o secretário de Estado desapontaram-me nesse assunto”, explicou Malik.

A grande divisão entre os dois Obamas está, contudo, no apoio do Partido Democrata ao casamento homossexual. O New York Post escreve que Malik Obama acredita na instituição casamento — tanto que até tem, pelo menos, três esposas, atualmente. “Sinto-me um republicano, porque eles não apoiam o casamento entre pessoas do mesmo sexo”, afirma Malik.

Por isso, Malik Obama irá em novembro aos EUA para votar em Trump. O meio-irmão de Barack Obama viveu durante muitos anos no estado do Maryland, onde está registado como eleitor.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Trump reagiu a este anúncio no Twitter. “Provavelmente foi mal tratado pelo presidente — como toda a gente!”, escreveu o candidato republicano na rede social.

O pai de ambos, Barack Obama Sr., deixou o Quénia em 1959. Na altura, Malik tinha um ano de idade, e a sua mãe estava grávida — haveria de nascer a sua irmã Auma. Obama Sr. foi para o Havai, onde conheceu Stanley Ann Dunham, a mãe de Barack.

A relação entre Barack e Malik já teve as suas atribulações. Em 2013, Malik candidatou-se a governador da região de Siaya, no Quénia, e Barack Obama recusou ajudá-lo no seu caminho para a política. Malik já só quer que o irmão deixe a presidência e possa “viver como um ser humano” novamente.