O candidato presidencial são-tomense Manuel Pinto da Costa anunciou vai recusar entrar na segunda volta das eleições presidenciais de São Tomé e Príncipe, considerando que “participar num processo eleitoral tão viciado seria caucioná-lo”.

Inicialmente, a Comissão Eleitoral Nacional (CEN) considerou que o candidato apoiado pelo governo, Evaristo Carvalho, ganhou com mais de 50 por cento dos votos, uma decisão que foi depois revertida com novas contagens dos boletins, que indicaram uma segunda volta com Pinto da Costa, atual Presidente da República e recandidato ao cargo.

Numa declaração hoje lida no Palácio do Morro da Trindade, Pinto da Costa considera que, mantendo-se a atual CEN e as estruturas de fiscalização, novas eleições “não serão livres nem transparentes e muito menos justas”.

“Assim sendo, continuar a participar num processo eleitoral tão viciado seria caucioná-lo”, acrescentou o governante, sublinhando: “Não o faço como candidato e muito menos como Presidente da República”.