Duas lendas do desporto coabitaram por umas horas, no último domingo, na sede da Ferrari, em Maranello. O mítico fabricante transalpino acolheu Kobe Bryant, com a estrela dos Los Angeles Lakers – a equipa americana de basquetebol cujas cores defendeu durante 20 anos, durante os quais conquistou cinco títulos – a assumir que é um fã de desportivos e, em particular, da Ferrari.

Agora que goza o seu primeiro ano como reformado da NBA, a liga norte-americana de basquetebol, o popular jogador ofereceu-se a si próprio uma visita às instalações do construtor italiano de carros desportivos, com direito a conhecer por dentro a fábrica onde nascem os Ferrari, tendo revelado grande interesse sobre as diferentes possibilidades de personalização dos modelos. Depois de acompanhar a produção dos veículos, aquele que ficou conhecido como o Black Mamba, pela sua agressividade no “court” de basquetebol, conduziu na pista de Fiorano o F12 Berlinetta TdF – Tour de France, não a maratona ciclística, mas a competição de estrada que a Ferrari venceu nos anos 50 e 60 com o 250 GT Berlinetta, que ganhou quatro anos consecutivos –, um monstro com 780 cv e de que apenas foram construídas 799 unidades.

11 fotos

Seguiu-se uma volta por Maranello e arredores, desta vez aos comandos de um Ferrari GTC4 Lusso, o modelo que substitui o antigo FF e que alia ao motor V12, de 689 cv, tracção e direcção às quatro rodas. O ponto final da visita do ex-atleta, que continua a exibir uns imponentes 1,98 m de altura e 96 kg de peso, foi uma sessão de fotos ao lado do California T e do 488 GTB, em frente ao antigo escritório do fundador Enzo Ferrari, hoje transformado em museu. Do mítico fabricante de desportivos, o americano rumou de seguida ao campo onde jogou basquetebol no período em que viveu em Itália, acção integrada num “tour” que o vai levar a várias cidades europeias, com o objectivo de interagir com jovens atletas.

24 fotos

Esta não foi a primeira incursão de Bryant por Itália, e nem será a última. O ex-basquetebolista – que deve o seu nome próprio à paixão que, durante uma viagem ao Japão, os seus pais desenvolveram pela carne japonesa com a mesma denominação – viveu em Itália entre os 6 e os 13 anos, período durante o qual o seu pai, Joe Bryant, também ele jogador da NBA, deixou os EUA para jogar profissionalmente em equipas italianas. Falando fluentemente italiano e tendo mesmo aprendido a jogar futebol – foi fã do A C Milan –, Kobe Bryant sempre teve uma relação muito próxima com a região de Reggio Emilia, onde o pai jogou entre 1989 e 1991, e onde também nascem os Ferrari e os Lamborghini.

A antiga estrela da NBA possui uma fortuna avaliada em 290 milhões de euros. Segundo a “Forbes”, Bryant facturou ao longo dos seus 20 anos de carreira 270 milhões de euros em salários dos LA Lakers e 320 milhões em patrocínios (Nike, Hublot, Sprite, McDonald’s, Sony, Nintendo e Mercedes-Benz). Agora fora dos “courts”, continua a fazer a sua fortuna crescer, através da Kobe Inc., empresa que criou em 2013 e através da qual adquiriu 10% da Body Armour, a marca de bebidas energéticas que passou a ter Bryant na administração, ele que tem igualmente em preparação acordos comerciais com os chineses da Alibaba, os concorrentes da americana Amazon.