Marina Rose Joyce, uma famosa youtuber britânica, lançou o pânico entre os fãs depois de ter publicado uma série de vídeos online que muitos acreditam conter um pedido secreto de ajuda. A preocupação por parte dos seus mais de 600 mil seguidores tem sido tanta que a hashtag #savemarinajoyce se tornou na mais popular do Twitter. A situação acabou por conduzir à intervenção da polícia, que se deslocou na noite de terça-feira à casa da blogger para averiguar o que se passava.

Tudo começou quando, na passada sexta-feira, Marina Joyce publicou um vídeo no YouTube, chamado “Date Outfit Ideas”, onde os seus fãs acreditam que terá sussurrado as palavras “help me” (“ajudem-me”), de forma quase impercetível. Isso levou à crença geral de que a britânica foi raptada, provavelmente por membros do Estado Islâmico, que a pretendem usar para atrair jovens para a sua causa.

https://www.youtube.com/watch?v=FqhFUbtpiB4

Os seguidores da youtuber defendem ainda que, numa outra gravação, a jovem surge com várias nódoas negras no corpo, o que indica que tem sido vítima de maus tratos. Um texto publicado no JustPast.it, uma plataforma que permite divulgar facilmente textos e imagens, chega ao ponto de defender que alguém está “a forçar a Marina a fazer estes vídeos (provavelmente o namorado dela, mas é possível que ela tenha sido raptada)” ou que a blogger tem um problema com as drogas.

“Os seus olhos olham constantemente para trás da câmara e a sua linguagem corporal parece extremamente desconfortável”, refere o post. “Parece que ela está constantemente a repetir o que alguém está a fazer. Ela mal consegue parar quieta. Ela está a tremer.” A publicação do JustPast.it apela ainda para que os seguidores de Marina Joyce não se desloquem à festa divulgada pela youtuber, uma vez que esta poderá tratar-se de um evento perigoso organizado por terroristas.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

No Twitter, o apelo foi repetido vezes sem conta. Em resposta a um dos tweets de Joyce, em que esta anuncia o evento, um dos seus seguidores pergunta se não será “uma espécie de código”, enquanto outros comentam que é tudo “muito estranho” e que “algo se passa”.

A preocupação geral pelo bem-estar de Marina Joyce acabou por levar a polícia britânica a deslocar-se à casa da youtuber, com o objetivo de averiguar se esta se encontrava bem. Num tweet publicado pelas autoridades, pode ler-se: “Os oficiais visitaram a utilizadora do YouTube Marina Joyce. Ela está bem”.

As declarações da polícia foram reiteradas na manhã de quarta-feira pela própria Marina Joyce, que garantiu no Twitter que se encontrava bem e que não havia motivo para alarme. “Estou completamente bem, pessoal! Sinto-me muito bem hoje e é comovente ver que tantas pessoas se preocupam comigo”, escreveu. Para acalmar os seus milhares de seguidores, Joyce decidiu realizar um live streaming onde respondeu a várias dúvidas, nomeadamente ao porquê de surgir num vídeo repleta de nódoas negras. “Tive um acidente”, explicou aos fãs.

Apesar das boas intenções da blogger, o live streaming só serviu para aumentar o pânico. À semelhança do que aconteceu com os últimos vídeos publicados no YouTube, o streaming também foi escrutinado ao mais ínfimo pormenor. No plano de fundo, atrás de Joyce, os fãs conseguiram descobrir a cara de um jovem a espreitar pela porta e até dois indivíduos escondidos nas sombras, com máscaras.

https://twitter.com/SigurdsonTalia/status/758349553024192512

Várias horas depois de se ter dirigido pela primeira vez aos fãs para dizer que estava tudo bem, a hashtag de Marina Joyce continua a ser uma das mais populares do Twitter. Para os milhares de jovens que a seguem, é evidente que algo se passa. Para outros, porém, a história do rapto da britânica não passa de uma paranoia generalizada.

https://twitter.com/LeftDpad/status/758336357613899776