A CNN turca avança que as autoridades da Turquia ordenaram que centenas de meios de comunicação social fossem encerrados e vários militares foram afastados.

Foram encerradas três agências de notícias, 23 estações de rádio, 16 canais televisivos, 45 jornais, 15 revistas e 29 editoras e distribuidoras.

Vários oficiais do exército foram também afastados. “Os elementos das Forças Armadas foram despedidos por cumplicidade na tentativa de golpe de Estado”, afirmou um responsável turco, especificando que foram demitidos 87 oficiais superiores do Exército, 30 da Força Aérea e 32 da Marinha.

O Presidente turco, Tayyip Erdogan, declarou na semana passada o estado de emergência no país durante um período de três meses. Desde então já afastou 6.500 professores, reitores e funcionários da educação, 42 jornalistas foram detidos e 13.000 pessoas foram também detidas por associação direta ao golpe.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

2.300 escolas, universidades, clínicas e associações com ligações ao líder religioso Fethullah Gülen foram declaradas ilegais ou encerradas.

Até ao momento foram destituídos 50.000 funcionários, públicos e privados, a maioria integrados no setor educativo.