Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Há quem lhe chame trabalhar por gosto. Ou considere uma demonstração da paixão pela inovação. Inequívoco é que um grupo de engenheiros da Nissan decidiu, voluntariamente, dedicar boa parte das suas horas de descanso à criação de um Leaf com uma bateria de 48 kWh, capaz de duplicar a capacidade energética de 24 kWh do modelo original.

Os autores trabalharam no projecto durante a noite e aos fins-de-semana, e este protótipo, denominado Cocoon, participou já em vários eventos da ECoseries, exibindo a sua autonomia alargada e a sua absoluta funcionalidade – exceptuando o facto de possuir apenas dois lugares, uma vez que foi necessário suprimir os traseiros para o veículo poder albergar a nova, e muito mais volumosa, bateria. Naturalmente que a sua principal característica é, justamente, essa bateria, com o dobro do tamanho da do modelo de produção em série e, por isso, capaz de aumentar em 75% a autonomia do modelo, para 437 km.

Construído no NTCE-S, o Centro Técnico da Nissan em Barcelona, o Cocoon é mais uma criação da equipa Nissan Innovation, composta por voluntários que enfrentam diversos desafios que visam superar os actuais limites da tecnologia de veículos elétricos. Os seus autores destacam, como seria de esperar, o potencial que existe para incrementar a autonomia da bateria, unanimemente considerado como o principal óbice para a implementação dos automóveis eléctricos como alternativa real e viável aos animados por motores térmicos.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR