O lucro da EDP caiu 20% para 472 milhões de euros até junho face ao período homólogo, que tinha beneficiado do ganho com a aquisição de uma participação adicional na central de Pecém e da venda de ativos de gás.

Em comunicado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), a elétrica liderada por António Mexia explica que o resultado líquido atribuível aos acionistas foi parcialmente mitigado pelo melhor desempenho operacional, num semestre em que a EDP registou 21 milhões de euros em imparidade com o BCP e pagou 59 milhões ao Estado pela contribuição extraordinária do setor energético (CESE).

Sem eventos não recorrentes, o resultado líquido do primeiro semestre seria de 517 milhões de euros, o que representaria um aumento de 20% face aos 431 milhões no mesmo período de 2015.