O mercado automóvel mundial continua a evoluir favoravelmente, com destaque para o europeu, o que em parte explica os bons resultados do Grupo Renault no primeiro semestre de 2016. As marcas Renault, Dacia e Samsung Motors viram, nos primeiros seis meses do ano, as suas vendas aumentarem 13,4%, face a igual período de 2015, atingindo agora 1,57 milhões de veículos.

Paralelamente, a margem de lucro sobre a facturação subiu de 3,2% para 4,7%, o que aliado ao maior volume de vendas, explica que o sector automóvel tenha contribuído com 1121 milhões de euros para os lucros operacionais do grupo, um valor superior em 64,9% ao registado no ano transacto.

Em termos globais, a facturação do Grupo Renault cresceu ligeiramente acima do incremento registado nas vendas, 13,5%, com um total de 25.185 milhões de euros, o que permitiu ao grupo liderado por Carlos Ghosn anunciar um resultado líquido de 1567 milhões de euros, 7,9% acima da primeira metade de 2015.

No mesmo período, o RCI Banque – que serve o Grupo Renault, mas igualmente a Nissan – fechou mais 12% de contratos de financiamento, num total de 770.305, com um valor de 15,6 mil milhões de euros, ou seja, mais 14,4% do que em 2015. O resultado líquido no primeiro semestre foi de 698 milhões de euros, o que se traduz num incremento de 3,4% face ao mesmo período do ano anterior.