Marcelo Rebelo de Sousa

“O que faz as nações grandes é o conhecimento”

210

O Presidente da República, que condecorou com a Ordem da Instrução Pública três personalidades da academia e da ciência em Portugal, defendeu que "o que faz as nações grandes é o conhecimento".

TIAGO PETINGA/LUSA

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, que esta sexta-feira condecorou com a Ordem da Instrução Pública três personalidades da academia e da ciência em Portugal, defendeu que “o que faz as nações grandes é o conhecimento”.

Numa cerimónia no antigo Museu dos Coches, em Lisboa, foram condecorados o médico estomatologista António de Vasconcelos Tavares, que foi vice-reitor da Universidade de Lisboa, o físico Luís Oliveira e Silva, que preside ao Conselho Científico do Instituto Superior Técnico, e o matemático Eduardo Veloso, formador de professores e divulgador de ciência.

Marcelo Rebelo de Sousa apontou-os como “três exemplos de excelência” reunidos na mesma cerimónia. “O que quer dizer isto? O que faz as nações grandes é o conhecimento. É a inventiva, é a pesquisa, é a investigação, é o aprofundamento científico, é a pedagogia desse aprofundamento científico, é a sua divulgação na sociedade”, defendeu.

“É isso que faz a diferença entre as nações. E o Presidente da República, que quer naturalmente um Portugal mais progressivo em termos do conhecimento, entende dever galardoar aqueles que tudo fizeram, tudo continuam a fazer e tudo farão para o avanço do conhecimento”, acrescentou.

António de Vasconcelos Tavares, antigo diretor da Faculdade de Medicina Dentária de Lisboa, recebeu o grau de Grande-Oficial da Ordem da Instrução Pública. O chefe de Estado enalteceu os seus “anos de dedicação à causa académica, de dedicação científica, de dedicação pedagógica” e destacou a sua passagem pela liderança da Universidade de Lisboa.

A mesma condecoração foi atribuída a Luís Miguel de Oliveira e Silva, que preside ao Conselho Científico ao Departamento de Física do Instituto Superior Técnico. “Tem um percurso cientificamente notável no plano interno e internacional”, considerou o Presidente da República, acrescentando que esta distinção “é um galardão à carreira passada, mas é um incentivo à carreira futura”.

O matemático Eduardo Veloso, que foi dirigente da Associação de Professores de Matemática (APM), recebeu o título de comendador da Instrução Pública. Marcelo Rebelo de Sousa manifestou-se “muito impressionado” com a sua vida, “que só parcialmente conhecia”, e elogiou sua “dedicação de muitas décadas” à pedagogia e à divulgação da matemática.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Crónica

A lobotomia nasceu aqui /premium

Alberto Gonçalves
1.135

Quando não estão a pagar impostos ou a ver a CMTV, as vítimas vão tirar “selfies” com os carrascos e prometem-lhes devoção e votos. Os portugueses apreciam ser humilhados ou não percebem o que são?

Rui Rio

PSD: tanta Silva e Penedos no Rio

José Pinto

As sondagens provam que a erosão do PS de Costa não é acompanhada pela subida firme ou sustentada do PSD. Há uma orfandade que pode abrir espaço para o surgimento de uma nova proposta partidária.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)