O chamado “Estúdio de Verão” da Rolls-Royce tem por objectivo demonstrar aos clientes da marca as suas capacidades quase ilimitadas no domínio da criatividade. Isto no que diz respeito à personalização de modelos destinados aos seus mais exigentes clientes. Este ano, a iniciativa, a decorrer em Porto Cervo, deu origem a dois exemplares muito especiais de outras tantas propostas da casa britânica, que pretendem reflectir a essência do célebre local de veraneio situado em plena Costa Esmeralda, na ilha italiana da Sardenha.

Subordinados ao tema “Dusk till Dawn” (numa tradução livre, “Do crepúsculo ao Alvorecer”) estão, então, um Wraith e um Dawn extremamente personalizados, resultado do trabalho dos criativos da Rolls-Royce, que teve como única imposição a evocação de um dos enclaves mais exclusivos do planeta – por sinal, bem do agrado de boa parte daqueles para quem adquirir um Rolls-Royce é mera questão de vontade. Aí estarão em exibição durante a actual estação do estio, mas apenas para um selecto conjunto de convidados da casa de Goodwood, só depois sendo entregues aos clientes que concordaram em financiar a sua criação, sem sequer conhecerem, à partida, o resultado final. Sabiam apenas, de antemão, que se tornariam proprietários de uma peça absolutamente única.

O exemplar do Wraith, o Rolls-Royce mais potente de sempre, criado para este efeito pretende incorporar os matizes do crepúsculo, para isso contando com um inédito sistema de iluminação suave, especialmente destinado à mítica estatueta montada no topo da grelha frontal de todos os Rolls-Royce (o inimitável Spirit of Ecstasy), bem como com uma pintura prateada bitonal, marcada por uma linha púrpura, que remete já para o habitáculo. Aí, a combinação cromática visa reproduzir o tal ambiente crepuscular, mercê do recurso às cores púrpura, azul e preta. No interior deste impositivo coupé é impossível não sublinhar, por isso, os bancos em pele púrpura, a par das aplicações em pele de avestruz, destinadas a acrescentar textura e profundidade.

Por oposição, com o Dawn, os designers da Rolls-Royce quiseram captar a vibração e as cores vivas do mar de Porto Cervo, através de uma inédita cor verde esmeralda da carroçaria, que contrasta com o interior revestido a pele verde e cor de concha. A alusão ao ambiente náutico está ainda patente na madeira de teca de poro aberto, utilizada tanto no habitáculo como no piso da mala. Ainda assim, o elemento mais exclusivo deste descapotável será o emblema aplicado no centro do tablier: numa placa em ouro branco, foram encrustados 1,4 quilates de esmeraldas preciosas e madrepérola, numa reprodução do símbolo da localidade de Porto Cervo.