Dezasseis pessoas foram hospitalizadas e 26 foram detidas depois de confrontos entre a polícia e manifestantes em Yerevan, na Arménia, anunciaram as autoridades arménias, este sábado.

Os confrontos começaram na noite de sexta-feira perto de um edifício policial onde um grupo armado apoiante da oposição está barricado com reféns há quase duas semanas. Ainda na sexta-feira, houve trocas de tiros entre a polícia e o grupo.

A polícia arménia disse à agência noticiosa AFP que 165 pessoas foram detidas durante os distúrbios, das quais 26 acabaram por ser presas mais tarde. As restantes foram libertadas.

Os homens armados, apoiantes do líder da oposição que está detido, Zhirair Sefilyan, invadiram o edifício da polícia a 17 de julho passado, matando um polícia e fazendo vários reféns.

Desde então já libertaram todos os agentes policiais, mas na quarta-feira retiveram quatro médicos que entraram no complexo para tratar de alguns dos feridos. Um dos médicos já foi libertado, estando ainda 24 homens armados no local. Três dos homens armados ficaram feridos na troca de tiros de sexta-feira, dois dos quais foram hospitalizados.