Yuriko Koike pode mesmo vir a tornar-se na primeira mulher governadora do Japão. As primeiras sondagens, feitas à boca da urna, dão a vitória à antiga ministra da defesa nas eleições para o cargo de governador da cidade de Tóquio, a capital japonesa.

Koike, do Partido Liberal Democrata do Japão, a que pertence o primeiro-ministro Shinzo Abe, foi também a primeira mulher a ser ministra da defesa no Japão, um país onde os cargos de topo são geralmente ocupados por homens.

Yuriko Koike, de 64 anos, segue à frente de Hiroya Masuda e do jornalista Shuntaro Torigoe, os principais candidatos, nas sondagens. As urnas fecharam às 20h (12h em Lisboa).

Caso a vitória se confirme, Koike irá suceder a Yoichi Masuzoe que se demitiu no mês passado depois de ter sido acusado de desviar dinheiro público para financiar as suas próprias férias. Masuzoe, que prometeu uma administração livre de escândalos, negou a acusação, mas admitiu existirem “lapsos éticos” no que diz respeito aos seus gastos.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

O seu antecessor, Naoki Inose, também se viu obrigado a apresentar demissão em 2013, na sequência de um escândalo de financiamento que surgiu pouco tempo depois de ter sido anunciado que Tóquio iria receber os Jogos Olímpicos de 2020.

A competição é, aliás, um dos principais problemas que a ex-ministra terá de enfrentar, depois das várias polémicas que têm vindo a abalar a reputação da cidade enquanto anfitriã. Além do adiamento da construção do estádio, o logótipo dos Jogos teve de ser refeito depois de o seu autor, Kenjiro Sano, ter sido acusado de plágio.