Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

No primeiro ano em que foram chamados a fazer provas de aferição — que não contam para as notas mas servem para avaliar conhecimentos –, os estudantes do 8º ano de escolaridade não fizeram boa figura. Tanto a Português como a Matemática, os resultados divulgados esta segunda-feira pelo Ministério da Educação mostram que os alunos %tiveram muitas dificuldades ou não conseguiram mesmo responder a grande parte das questões colocadas.

Na Matemática, os piores resultados registaram-se na geometria, área disciplinar em que apenas 8,7% dos alunos conseguiram responder corretamente às perguntas. Pouco melhor estão as capacidades em aritmética: só 15,6% dos estudantes responderam sem dificuldades.

Em Português, o cenário não melhora muito. A gramática foi o calcanhar de Aquiles: 16,9% dos alunos de 8º ano acertaram nas perguntas desta área. Já a compreensão oral e escrita foram áreas em que os estudantes se sentiram mais à vontade, pois cerca de 70% responderam corretamente às questões.

Os números relativos ao 8º ano contrastam com os obtidos pelos alunos do 2º ano de escolaridade. Em Português, por exemplo, mais de 60% das crianças do primeiro ciclo acertaram nas perguntas de gramática. Já a Matemática, 56% dos alunos tiveram resultados positivos nas questões de aritmética e 55% a geometria.

Também os alunos do 5º ano mostraram dificuldades em aritmética, área em que apenas 12% dos alunos conseguiram responder corretamente às questões.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR