480kWh poupados com o Logótipo da MEO Energia Logótipo da MEO Energia
i

A opção Dark Mode permite-lhe poupar até 30% de bateria.

Reduza a sua pegada ecológica.
Saiba mais

Logótipo da MEO Energia

Adere à Fibra do MEO com a máxima velocidade desde 29.99/mês aqui.

Estados Unidos lançam ataques aéreos ao Estado Islâmico na Líbia

Este artigo tem mais de 5 anos

Em resposta a um pedido de ajuda do governo líbio, os Estados Unidos decidiram atacar posições da organização terrorista no país. Os ataques provocaram "pesadas baixas".

i

© Sabri Elmhedwi/EPA

© Sabri Elmhedwi/EPA

Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

A Força Aérea dos Estados Unidos da América lançou esta segunda-feira diversos ataques contra o Estado Islâmico na Líbia. A ação militar foi feita a pedido do governo apoiado pelas Nações Unidas e teve como alvo a cidade de Sirte, a cerca de 500 quilómetros da capital Tripoli e situada junto ao Mar Mediterrâneo.

De acordo com um comunicado do Pentágono, as forças do Governo de Acordo Nacional da Líbia “têm tido sucesso na reconquista de territórios ao Estado Islâmico em redor de Sirte”, pelo que vão ser feitos mais ataques que ajudem as forças governamentais “a fazer um avanço estratégico e decisivo”.

O primeiro-ministro da Líbia, Fayez al-Sarraj, confirmou o pedido de ajuda aos Estados Unidos e acrescentou que os ataques aéreos provocaram “pesadas baixas” entre o grupo terrorista, cuja presença na Líbia tem crescido substancialmente nos últimos meses.

O Governo de Acordo Nacional da Líbia tomou posse em janeiro e definiu como prioridade o combate aos vários grupos jihadistas que se espalharam pelo país, sobretudo desde a queda do governo de Khadafi, em 2011. Atualmente, a Líbia é uma manta de retalhos política e militar. Este executivo, formado no início do ano, é apoiado pelas Nações Unidas, mas tem de lidar com a oposição de diversos grupos políticos armados e com os terroristas do Estado Islâmico e de outras organizações.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

A página está a demorar muito tempo.

Ofereça este artigo a um amigo

Enquanto assinante, tem para partilhar este mês.

A enviar artigo...

Artigo oferecido com sucesso

Ainda tem para partilhar este mês.

O seu amigo vai receber, nos próximos minutos, um e-mail com uma ligação para ler este artigo gratuitamente.

Ofereça artigos por mês ao ser assinante do Observador

Partilhe os seus artigos preferidos com os seus amigos.
Quem recebe só precisa de iniciar a sessão na conta Observador e poderá ler o artigo, mesmo que não seja assinante.

Este artigo foi-lhe oferecido pelo nosso assinante . Assine o Observador hoje, e tenha acesso ilimitado a todo o nosso conteúdo. Veja aqui as suas opções.

Atingiu o limite de artigos que pode oferecer

Já ofereceu artigos este mês.
A partir de 1 de poderá oferecer mais artigos aos seus amigos.

Aconteceu um erro

Por favor tente mais tarde.

Atenção

Este artigo só pode ser lido por um utilizador registado com o mesmo endereço de email que recebeu esta oferta.
Para conseguir ler o artigo inicie sessão com o endereço de email correto.