A notícia foi avançada pelo britânico “Sunday Times“, acrescentando que, com a construção desta fábrica de baterias no Reino Unido, os três fabricantes poderiam ver suprimidas as necessidades relativamente a vários milhares de veículos eléctricos. Contudo, contactadas pela “Automotive News Europe”, nenhuma das três companhias aceitou confirmar a existência de quaisquer conversações, com a JLR a acrescentar que não comenta rumores, enquanto a Ford, embora reconhecendo a existência de parcerias com outros fabricantes nos mais variados domínios, a afirmar que “conversações como as que o jornal refere são mantidas sempre num plano privado, por razões de concorrência”.

Das três empresas, apenas a BMW terá negado conversações com a rival britânica no que toca à construção de qualquer fábrica de baterias para automóveis no Reino Unido. Apesar desta tomada de posição, são conhecidas as conversações que a marca bávara e a JLR têm vindo a manter relativamente a outros temas, nomeadamente, quanto à possibilidade de o fabricante alemão vir a fornecer a próxima geração do V8 4,0 litros turbo que a marca britânica pretende disponibilizar em vários modelos Jaguar e Land Rover.

A JLR terá recentemente voltado a equacionar a hipótese de avançar para uma versão de produção do C-X75 Concept, a par de um sucessor para o XK Coupé e Convertible. Resolvidos estes temas, o fabricante britânico poderá então concretizar a ideia de fabricar um novo coupé cinco portas topo de gama, movido a energia eléctrica, para disponibilizar lado a lado com o XJ, já a partir de 2018. A este modelo seguir-se-á um segundo veículo eléctrico, mais acessível, que a marca espera ter em comercialização no ano seguinte.