O líder do Partido Popular saiu da reunião desta manhã com Albert Rivera, líder do Ciudadanos, sem novidades sobre uma solução governativa. “Se o PSOE votar’ não’, não haverá investidura [como primeiro-ministro]. E se o Ciudadanos não colaborar, dificilmente poderá haver um governo com um mínimo de estabilidade”, afirmou Mariano Rajoy, mantendo a crise política espanhola em aberto.

A posição do Ciudadanos não evoluiu, com Rivera a insistir na abstenção na votação da investidura. Rajoy saiu da reunião que durou cerca de uma hora a sinalizar esperança. “Hoje demos um primeiro passo e a maior das caminhadas começa sempre com um primeiro passo”. Citado pelo El Mundo, o líder dos populares disse mesmo que abriu “um canal de comunicação”, com Rivera, mas o líder do Cuidadanos só aceita negociar o pacote de dez propostas que recebeu de Rajoy depois de este ter conseguido a investidura.

Ora, do Cuidadanos, Rajoy já sabia — e saiu da reunião a saber o mesmo — que contará com a abstenção. Não chega, precisa do PSOE que mantém a posição de chumbar a investidura. Rivera também pressiona nesse sentido: “Se o PSOE flexibilizar a sua posição e ceder, teremos legislatura e poderemos debater”.

Perante este cenário de bloqueio, o líder político proposto pelo rei para formar Governo pondera nem sequer submeter-se à votação pela investidura. E ao mesmo tempo diz que umas terceiras eleições seriam “uma vergonha”: “É inadmissível. Temos de chegar a algum tipo de entendimento que acabe com o bloqueio e devolva a normalidade à política espanhola”.

Sem nenhum tipo de compromisso do PSOE, não haverá Governo em Espanha e sem compromisso do Ciudadanos, não haverá estabilidade para Governar”, disse Rajoy.

O rei de Espanha interrompeu as férias em Palma de Maiorca, para se reunir ainda esta quarta-feira com Maria Rajoy no Palácio da Zarzuela. O líder do PP entrará na reunião já com o conhecimento das posições dos líderes dos partidos, junto dos quais está a tentar o números de votos suficientes para conseguir a investidura como primeiro-ministro. Na semana Passada, Filipe VI nomeou Rajoy para tentar formar Governo.