O fadista Telmo Pires atua pela primeira vez na Lituânia, numa digressão em que apresenta o seu mais recente álbum, “Ser fado”, que inclui o inédito de António Variações, “Ao passar por Braga abaixo”, anunciou a sua produtora.

“Sempre fui um enorme fã de António Variações. E, paralelamente, sempre desejei cantar um tema que remetesse para a tradição musical portuguesa e que não fosse de fado. E tive a felicidade de, através de um irmão de António Variações, o Jaime Ribeiro, ter chegado a este belíssimo tema que tão bem representa a cultura musical do norte de Portugal, a que eu também pertenço. O António do Minho, eu de Trás-os-Montes”, afirmou o fadista à Lusa.

A digressão em terras lituanas começa na quinta-feira na cidade de Siauliai, seguindo para Kaunas, onde, na sexta-feira, atua no Pazaislis Festival. No sábado Telmo Pires canta em Sakiai, no Beatrices Vasaros Festivalis e, finalmente, no domingo, atua em Vilnius.

Telmo Pires é acompanhado pelos músicos Bruno Chaveiro, na guitarra portuguesam, Carlos Jorge Garcia, na viola, e Yami Aloelela, no baixo.

Neste novo álbum, saído em fevereiro passado, três dos temas são assinados por Telmo Pires, que os interpreta nas melodias tradicionais do Fado Vianinha, de Francisco Viana, “Pode ser”, do Fado Versículo, de Alfredo Marceneiro, “No meu olhar”, e no Fado Bailado, também de Marceneiro, “Silêncio no meu coração”.

Davide Zacaria musicou “Desfeito”, também assinado por Telmo Pires, e ainda “Amanhã no mar”, de Tiago Espírito Santo.

A dupla Jorge Fernando e Custódio Castelo assina “Ausente”, e o outro poema inédito deste CD, “Amor escondido”, é de Daniel Costa-Lourenço, e é interpretado no Fado Alfacinha, de Jaime Santos.

“Ser fado” sucede a “Fado promessa”, de 2013, e é o quarto álbum da carreira do fadista, que começou a interessar-se pelo fado através dos discos de Amália Rodrigues e de Carlos do Carmo, que os pais possuíam. Referindo-se à opção pelo fado, Telmo Pires afirmou à Lusa que “era um sonho que acalentava há muito”.