Em declarações no Rio de Janeiro, o Presidente da República falou na importância que os Jogos Olímpicos têm para o Brasil, para a comunidade da língua portuguesa e mostrou-se otimista em relação aos atletas portugueses.

Marcelo Rebelo de Sousa recebeu a bandeira nacional do comandante do navio escola Sagres, levou-a ao peito e entregou-a ao atleta João Rodrigues, que será o porta-estandarte na cerimónia de abertura dos Jogos Olímpicos.

“Especial é este momento, é o momento de uma vida, é uma vez na vida que chega ao Brasil a Sagres, que foi recebida do Brasil antes de ser de Portugal e que portanto é luso-brasileira”, afirmou o Presidente da República.

O chefe de Estado falava a bordo do navio-escola Sagres na ilha das Cobras, junto da Baía da Guanabara (Rio de Janeiro), que será a “casa de Portugal” durante as olimpíadas.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Apesar de todas as dificuldades, Marcelo elogiou a organização do evento dizendo que “o Brasil superou as expectativas, superou as dúvidas e está a acolher delegações de todo o mundo e a transformar estas olimpíadas num momento único, num momento inesquecível.”

O Presidente mostrou-se também otimista em relação ao desempenho da delegação portuguesa e afirmou mesmo que “Temos campeões que o têm provado em provas europeias, mundiais e até em anteriores Jogos Olímpicos e por isso a expectativa é muito positiva entendemos que há da parte portuguesa a possibilidade de regressar com medalhas. O Presidente acolherá todos e de forma especial os medalhados com muito júbilo em Portugal no próximo mês.”

Ressalvou também a importância que este evento tem para a língua portuguesa e para o estreitamento de laços entre Portugal e Brasil. “É um hino à língua que nos une. Há aqui uma realidade que será sempre vencedora: ter sido possível ter os primeiros jogos olímpicos num estado que fala a língua portuguesa. E ser esse estado o Brasil, que é já uma potencia mundial, é um motivo de alegria, orgulho para nós portugueses e, tenho a certeza, para todos os que integram a comunidade falante de português. Não é por acaso que neste momento todos os meses chegam candidaturas de países asiáticos, africanos, europeus, americanos que querem juntar-se àquilo que é a comunidade da língua portuguesa. Mas agora é a festa do desporto, a festa do Brasil, mas também é, por isso mesmo, a festa de Portugal. Neste momento, a relação entre Brasil e Portugal não pode ser melhor. Ao longo dos anos a democracia portuguesa e a democracia brasileira, foi possível estreitar laços.”

Marcelo recusa fazer juízos sobre a política interna do Brasil

O Presidente da República português recusou fazer juízos sobre a política interna do Brasil, sublinhando desejar que aquele país seja “feliz na sua democracia” e elogiando a organização dos Jogos Olímpicos Rio de Janeiro 2016.

Marcelo Rebelo de Sousa será recebido pelo presidente interino do Brasil, Michel Temer, juntamente com todos os outros chefes de Estado que se encontram no Rio de Janeiro para a cerimónia de abertura dos Jogos Olímpicos, numa receção no Palácio do Itamaracy, na sexta-feira.

“O chefe de Estado português não formula juízo sobre a política interna de outros Estados, menos ainda de um Estado irmão, aquilo que permanentemente deseja é que esse Estado irmão seja feliz na sua democracia, como Portugal quer ser feliz na sua democracia”, declarou o Presidente quando questionado sobre o momento político brasileiro.