O Novo Banco anunciou esta quinta-feira a venda da unidade que tem em Macau, na Ásia, ao grupo Well Link, de Hong Kong, sem adiantar o valor do negócio.

“Informamos que o Novo Banco celebrou com a sociedade Well Link Group Holdings Limited, sociedade constituída em Hong Kong, um contrato de compra e venda da totalidade do capital social do Novo Banco Ásia”, lê-se no comunicado enviado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).

A concretização da venda está agora dependente de autorizações, nomeadamente do Banco de Portugal e da Autoridade Monetária de Macau.

Segundo o Novo Banco, esta operação terá um impacto positivo nos seus rácios de capital e representa “mais um importante passo no processo de desinvestimento de ativos não estratégicos” da instituição e na estratégia de se focar no negócio bancário em Portugal.

O Novo Banco foi criado a 04 de agosto de 2014, na sequência da do Banco Espírito Santo (BES), como banco de transição, tendo ficado com os ativos e passivos considerados menos problemáticos.

Apesar disso, tem vindo a acumular prejuízos, que foram 980,6 milhões de euros em 2015.

A instituição, que tem como acionista o Fundo de Resolução bancário, gerido pelo Banco de Portugal, está de momento sem presidente, uma vez que Eduardo Stock da Cunha saiu da instituição no final de julho para voltar para o britânico Lloyds Bank e António Ramalho ainda não tomou posse uma vez que aguarda a aprovação final do Banco Central Europeu, o que deve acontecer na próxima semana.

Confrontado sobre este assunto, o Banco de Portugal, que havia dito que o novo presidente entraria em funções a 01 de agosto, não comentou a informação.