O antigo ministro dos Negócios Estrageiros Freitas do Amaral considerou esta sexta-feira que o primeiro-ministro deve demitir os secretários de Estado que aceitaram convites da Galp para assistir a jogos da seleção nacional em França.

“Ultrapassou-se a fronteira do que é legítimo e devem ser demitidos, se não se demitirem”, afirmou Freitas do Amaral, jurista, professor catedrático de Direito e que foi ministro no Governo socialista liderado por José Sócrates.

Em entrevista ao programa 360º, da RTP 3, Freitas do Amaral declarou mais do que uma vez que os secretários de Estado deviam ter apresentado a demissão e que, caso não o façam, o primeiro-ministro terá de os demitir.

“Quem exerce cargos públicos não pode receber presentes de entidades privadas. Ponto final”, frisou.