Chama-se Infor Rocket Streamliner e é a moto com que a britânica Triumph regressa, este mês, aos lagos salgados do Utah para tentar alcançar um novo recorde mundial de velocidade para uma moto. Aos comandos estará Guy Martin, conhecido piloto da corrida de TT da Ilha de Man e detentor, ele próprio, de diversos recordes de velocidade.

Desenvolvida e construída especificamente para este efeito, a Infor Rocket Streamliner irá competir na Divisão C da edição deste ano da célebre Semana da Velocidade de Bonneville, mais uma vez a decorrer durante Agosto. Com 7,7 m de comprimento, 60 cm de largura e 90 cm de altura, conta com uma monocoque construída em carbono e Kevlar, sendo a propulsão assegurada por dois motores biturbo Triumph Rocket III, alimentados por etanol e capazes de produzir uma potência combinada de 1000 cv/9000 rpm.

15 fotos

Nos últimos anos, esta não é a primeira vez em que a britânica Triumph surge associada à conquista do recorde mundial de velocidade em duas rodas, pois já em 2013 e 2014 um outro veículo, o Castrol Rocket Streamliner, então pilotado por Jason DiSalvo, tentou franquear a barreira das 400 milhas, cerca de 640 km/h. Tudo indica que este veículo serviu de base para o modelo que vai tentar conquistar o recorde este ano. Aqui fica o vídeo.

[jwplatform d2I08VHo]

Actualmente, o recorde de velocidade em terra para uma moto está estabelecido em 605,697 km/h, e foi alcançado, em 2010, por Rocky Robinson, aos comandos da Top Oil-Ack Attack. É esta a cifra que a Triumph vai tentar suplantar para voltar a deter o título de “Moto Mais Rápida do Mundo”, que já lhe pertenceu durante nada menos do que 15 anos, entre 1955 e 1970.

Nesse período, foram várias as motos do construtor britânico que alcançaram tal feito, nomeadamente a Devil’s Arrow, a Texas Cee-gar, a Dudek Streamliner e a Gyronaut X1, esta última graças a uma velocidade máxima de 395,28 km/h. Por outro lado, há já 60 anos que a Triumph recorre ao nome Bonneville para identificar alguns dos seus modelos: estreado em 1956, na sequência do recorde de velocidade alcançado por Johnny Allen nos Lagos Salgados (311,762 km/h), foi pela primeira vez utilizado numa moto destinada ao circuito comercial em 1959, quando tiveram início as vendas da primeira T120 Bonneville, apresentada no Salão de Earls Court desse mesmo ano.

23 fotos

Enquanto a Triumph não ultrapassa o actual recorde do mundo de velocidade em duas rodas, é bom recordar que a luta pela primazia entre os veículos de quatro rodas está igualmente ao rubro. A melhor marca continua na posse do Thrust SSC de Andy Green, que em 1997 alcançou 1227,985 km/h. Mas o mesmo piloto tem em adiantado estado de desenvolvimento o Bloodhound SSC, veículo com que está a pensar estabelecer, já em 2017, uma marca em redor dos 1600 km/h.

O mais curioso é que o Bloodhound vai possuir três motores, mas apenas um vai ser responsável pela obtenção do recorde. Se tudo correr como previsto. Existe um motor a jacto para níveis subsónicos, que deverá impulsionar o veículo até aos 480 km/h, para depois aí entrar em funcionamento um motor de foguetão híbrido, que o levará até à velocidade máxima. E o terceiro motor? Bem, esse está lá atrás num cantinho. Trata-se de um V8 sobrealimentado da Jaguar, cuja única função é servir de gerador de corrente e alimentar a bomba de combustível do motor principal.