O incêndio que começou na tarde de sexta-feira na freguesia de Melres e Medas, concelho de Gondomar, distrito do Porto, tem duas frentes ativas “bastante longas” e está a aproximar-se de duas povoações, revelaram os Bombeiros Voluntários de Melres.

O presidente da Câmara de Gondomar, Marco Martins, adiantou à Lusa que o incêndio está a aproximar-se das povoações de Vilarinho e de Moreira, na freguesia de Melres e Medas e que a “prioridade é defender as habitações”.

O autarca, que tutela a Proteção Civil, disse estar “à espera de um reforço de meios” para combater as chamas e acrescentou que “desde as 09h00 que foram pedidos meios aéreos”, sem sucesso.

“Há um reforço de meios terrestres a caminho”, acrescentou Marco Martins, indicando que “foram pedidos meios aéreos, mas parece que não há”.

De acordo com o autarca, não existem, neste momento, casas evacuadas.

Fonte dos Bombeiros Voluntários de Melres disse à Lusa, por volta das 09h30 de sábado, que o fogo que começou na tarde de sexta-feira na freguesia de Melres e Medas, estava “perto de casas” no lugar de Costeirinha.

As chamas em “povoamento misto” avançaram entretanto para “duas frentes ativas”, indicava, pelas 11h30, a página da internet da Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC).

102 operacionais, 38 meios terrestres e dois aviões combate o fogo

O incêndio está a ser combatido por 102 operacionais, 38 meios terrestres e dois aviões, revelou Proteção Civil.

A informação foi disponibilizada às 13h52 na página da internet da Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC), que acrescenta tratar-se de um “incêndio em povoamento misto, com duas frentes ativas”.

O presidente da Câmara de Gondomar, Marco Martins, adiantou à Lusa pelas 12h00 que o incêndio estava a aproximar-se das povoações de Vilarinho e de Moreira e os bombeiros Voluntários de Melres apontaram para “duas frentes ativas bastante longas”.