Nazismo

Heinrich Himmler matava judeus à tarde e ia a banquetes à noite

553

Os diários do líder nazi, revelados pelo jornal alemão Bild, mostram que Himmler conciliava diariamente as execuções de judeus com festas e tempo para a família e amigos.

O influente líder nazi ordenou que os militares do campo de Auschwitz treinassem cães para serem capazes de rasgar os corpos dos judeus

Getty Images

Mais sobre

Heinrich Himmler, o líder das SS, matava judeus à tarde e frequentava banquetes à noite. “Era uma besta cheia de contradições”, nas palavras do historiador Matthias Uhl ao jornal alemão Bild. Detalhes, como este, sobre a vida de um dos homens mais poderosos da Alemanha nazi estão a ser revelados precisamente por aquele jornal, que está a publicar fragmentos dos diários de Himmler durante a Segunda Guerra Mundial.

Himmler foi um dos principais responsáveis pelo Holocausto, tendo assinado as ordens de execução de milhares de pessoas. Ainda assim, era um homem de família, que cuidava dos filhos, oferecia banquetes aos amigos e gostava de aproveitar a vida. “Por um lado era um executor sem escrúpulos que planeou o Holocausto, e, por outro, preocupava-se de forma hipócrita com a elite das SS, com a sua família e os seus amigos”, sublinha o historiador.

A BBC recolheu alguns exemplos de passagens do diário, que mostram a crueldade de Himmler. Numa das entradas, de 1943, o líder das SS escreveu que visitou um campo de concentração durante a tarde.

Lá, assistiu à execução de centenas de mulheres e crianças. No final do dia, ofereceu um banquete aos oficiais do exército nazi, para celebrar.

Noutra passagem do diário, descobre-se que Himmler se levantou tarde para tomar o pequeno-almoço, e telefonou à sua esposa e à sua filha. Depois, mandou executar dez polacos e enviou as suas famílias para campos de concentração.

Outros escritos revelam que o influente líder nazi ordenou que os militares do campo de Auschwitz treinassem cães para serem capazes de rasgar os corpos dos judeus.

A vida de Himmler era isto, mais ou menos diariamente. Já se conhecia uma parte dos seus dias, através da revelação de alguns diários, dos anos de 1941, 1942 e 1945. Mas estes, encontrados agora nos arquivos russos, revelam passagens ainda mais atrozes. Atualmente, encontram-se a ser estudados pelo Instituto de História Alemã de Moscovo.

Himmler suicidou-se em 1945, pela ingestão de uma cápsula de cianeto, após ter sido capturado pelas forças aliadas.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)