Mais de 1.700 operacionais combatiam ao início da noite de hoje os 12 incêndios florestais mais significativos no continente português, segundo informação disponibilizada às 19:50 na página da Proteção Civil na internet.

No distrito de Aveiro continuavam a esta hora em curso dois incêndios considerados “ocorrências importantes” no ‘site’ da Autoridade Nacional de Proteção Civil, ou seja, que já duram há mais de três horas e mobilizam mais de 15 meios de socorro.

Em Águeda, 298 operacionais, apoiados por 99 viaturas e dois meios aéreos, combatem um fogo que deflagrou cerca das 04:00 de hoje na localidade de Préstimo, enquanto em Arouca as chamas começaram a lavrar ao final da tarde de sábado em Provisende de Cima e mobilizam agora 255 operacionais, 90 veículos e dois meios aéreos, tendo-se já propagado ao concelho vizinho de Vale de Cambra.

O terceiro incêndio com mais operacionais (232, apoiados por 79 viaturas e dois meios aéreos) decorre no concelho de Barcelos, no distrito de Braga.

As chamas deflagraram em Tamel no domingo à tarde.

No distrito de Viseu lavram quatro incêndios considerados “ocorrências importantes”, nos concelhos de Nelas, Mangualde, Viseu e Cinfães. No total, estão mobilizados no distrito 419 elementos das forças de segurança e socorro, além de 103 viaturas e dois meios aéreos.

No distrito de Faro, no concelho de Silves, 207 elementos combatem as chamas, com o apoio de 68 meios terrestres e quatro aéreos.

No distrito da Guarda, há dois fogos florestais relevantes, em Gouveia e Trancoso, e as operações envolvem um total de 168 homens, 56 viaturas e dois meios aéreos.

Algumas dezenas de elementos estão ainda a tentar apagar as chamas nos concelhos de Vila Nova de Cerveira (distrito de Viana do Castelo) e Gondomar (Porto).