Para muitos atletas participar nos Jogos Olímpicos é o sonho de uma vida e subir ao pódio um feito incrível. Mas para o norte-coreano Om Yun-Chol a medalha de prata foi insuficiente, por isso pediu desculpa. “Não creio que possa ser um herói para o meu povo com uma medalha de prata.”

Há quatro anos, nos Jogos Olímpicos de Londres, Om Yun-Chol conseguiu a medalha de ouro, no levantamento do peso, na categoria dos 56 kg. Na altura dedicou a vitória a Kim Jong-Il, a sua grande inspiração, e a Kim Jong-Un, noticiou a AFP. O coreano foi o quinto homem a conseguir levantar três vezes o seu peso.

China's gold medallist Long Qingquan (C, North Korea's silver medallist Om Yun Chol (L) and Thailand's bronze medalist Sinphet Kruaithong pose with their medals on the podium during the men's 56kg weightlifting event at the Rio 2016 Olympic games in Rio de Janeiro on August 7, 2016. / AFP / GOH Chai Hin (Photo credit should read GOH CHAI HIN/AFP/Getty Images)

Vencedores de levantamento do peso, categoria de 56 kg (da esquerda para a direita): o coreano Om Yun-Chol (medalha de prata), o chinês Long Qingquan (medalha de ouro) e o tailandês Sinphet Kruaithong (medalha de bronze).

Apesar de Om Yun-Chol ter ganho três campeonatos do mundo consecutivos, este ano foi ultrapassado por Long Qingquan. O chinês, além de lhe roubar o ouro, bateu o recorde mundial que já tinha 16 anos – levantou 170 quilogramas.

“Espero poder voltar na próxima oportunidade, competir novamente e retribuir a minha gratidão com ouro”, disse o norte-coreano a pensar dos Jogos Olímpicos de Tóquio, em 2020. Mas promete também medalhas de ouro nos próximos mundiais da modalidade.