Caso BES

Emigrantes lesados vão manifestar-se em Lisboa na sexta-feira

A Associação Movimento Emigrantes Lesados Portugueses convocou uma manifestação para sexta-feira, em Lisboa, para mostrar que os emigrantes estão "cansados de promessas".

PAULO NOVAIS/LUSA

Autor
  • Agência Lusa

Os emigrantes vão concentrar-se junto à sede do Novo Banco, às 11:30, na Avenida da Liberdade, e depois vão marchar até ao Banco de Portugal, na Rua do Comércio.

“Não queremos promessas, queremos honra nos compromissos que connosco foram assumidos! Dizemos não à mentira, não à falta de escrúpulos! Chega de sermos enganados! “Promessas leva-as o vento”, ó sábio ditado popular! De facto, andamos cansados de promessas!”, lê-se no comunicado da AMELP.

A associação recorda que os emigrantes lesados não aceitam “uma proposta indecente”, em referência à solução comercial proposta pelo Novo Banco que foi aceite por 6.000 clientes emigrantes, que tinham investido cerca de 500 milhões de euros em produtos de poupança.

“Sim, a nossa luta não começou mais cedo porque educadamente e silenciosamente acreditámos mais uma vez em gestores e funcionários que diziam que em breve nos iria ser devolvido o nosso dinheiro. Pois, mas até aos dias de hoje não nos foi devolvido nem um único tostão! Queremos o nosso dinheiro! Mas não queremos uma proposta ‘indecente’ como aquela que já nos foi apresentada, não a vamos assinar, não a assinaremos! É o nosso dinheiro que queremos e nada abaixo disso”, lê-se no comunicado.

Após a resolução do Banco Espírito Santo (BES), a 04 de agosto de 2014, os emigrantes lesados ascendiam a 8.000, num total de 728 milhões de euros de dinheiro investido.

De acordo com comunicado enviado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM) pelo Novo Banco, a 28 de junho, já foi concluída a execução da solução comercial aceite por 6.000 clientes emigrantes que, segundo fonte oficial, abrangeu “aplicações no valor de 500 milhões de euros e prevê recuperar até 90% do capital investido”.

Por resolver continua a situação de todos os clientes emigrantes que não aceitaram a proposta do Novo Banco por considerarem que não era justa e não se adequava ao seu perfil, uma vez que implicava a subscrição de obrigações de longa duração do Novo Banco e em que os depósitos a prazo estarão condicionados ao valor dessas obrigações.

“Não queremos saber se 80% aderiu à proposta. Nós, os 20%, não estamos para ser enganados uma segunda vez e tanto mais não consideramos que aquilo seja uma “solução” como foi apelidada pelo Novo Banco! O vocábulo ‘solução’ significa ‘aquilo que resolve, soluciona (problema, dificuldade etc.)’. Entendemos que tal proposta não foi solução alguma”, continua a AMELP no comunicado.

Na manifestação da próxima sexta-feira, os emigrantes lesados vão ter como palavras de ordem “Não mandar mais dinheiro para Portugal e para os bancos portugueses” e vão reclamar “honra nos compromissos” que com eles “foram assumidos”.

A AMELP é constituída por mais de 400 associados, sobretudo trabalhadores emigrantes portugueses, e já protagonizou vários protestos em Paris e em cidades portuguesas, com o objetivo de reaver as poupanças dos emigrantes.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Caso José Sócrates

Despoletar a bomba a tempo /premium

Manuel Villaverde Cabral
120

Tão importante como o caso lamentável de Manuel Pinho, foram as emissões televisivas dos interrogatórios de Sócrates que desencadearam os receios do PS quando o viram, por assim dizer, à solta

Caso José Sócrates

César pôs lama na ventoinha /premium

Filomena Martins
1.513

Quando tentou tornar o independente Manuel Pinho no cordeiro a sacrificar para não agitar os pecados do último Governo socialista, despertou todos os fantasmas desse passado vergonhoso da democracia.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

Detalhes da assinatura

Acesso ilimitado a todos os artigos do Observador, na Web e nas Apps, até três dispositivos.

E tenha acesso a

  • Assinatura - Aceda aos dados da sua assinatura
  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Inicie a sessão

Ou registe-se

Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)