A descoberta do cadáver de um jovem que terá sido enterrado há cerca de três mil anos, no topo do Monte Lykaion, na Grécia, pode ser a prova de que aconteceram mesmo sacrifícios humanos em honra de Zeus. Foi naquele local, segundo a mitologia da Grécia Antiga, que nasceu Zeus. E era ali que havia sacrifícios de animais e rituais de adoração aos deuses. Ainda assim, os especialistas alertam que não se devem tirar conclusões precipitadas e assumir, desde já, que são verdadeiras as lendas que dizem que também havia humanos a ser sacrificados pelas populações.

Segundo a Associated Press, via Kathimerini, as escavações no local revelaram as ossadas de um rapaz que terá morrido na adolescência. Os arqueólogos dizem que é cedo para tirar conclusões sobre as causas da morte do rapaz, cujo esqueleto foi encontrado no centro de um altar de cinzas com mais de 30 metros. O corpo aparece respaldado por uma composição de pedras presumivelmente esculpidas e ali depositadas por mão humana. O crânio não está ao pé do corpo.

Vários escritores da Antiguidade, incluindo Platão, deixaram obras em que falavam de sacrifícios humanos — algo que nunca foi confirmado por cientistas na Grécia (continental). As lendas diziam que a carne humana era cozinhada em conjunto com a carne dos animais sacrificados. Quem comesse a carne humana tornar-se-ia um lobo durante nove anos, rezava a lenda.

“Múltiplas fontes literárias falam em rumores de que havia sacrifícios humanos no altar, mas até há algumas semanas nunca tinham sido achados quaisquer vestígios de ossos humanos encontrados no local”, afirmou um professor da Universidade do Arizona, David Gilman Romano, citado pela Associated Press. E serão as ossadas de um rapaz morto para agradar aos deuses? “Isto é um altar de sacrifícios. Portanto, não é um local onde se enterraria um humano. Não é um cemitério”.