O incêndio que lavra em S. Pedro do Sul, no distrito de Viseu, está dominado, depois de se ter iniciado há uma semana, no distrito de Aveiro, revela a proteção civil.

Na sua página na internet, às 08:46, a Autoridade Nacional de Proteção Civil informa que este incêndio está dominado. Este fogo está a ser combatido por 833 operacionais, apoiados por 257 meios terrestres. Este incêndio teve origem há uma semana no concelho vizinho de Arouca.

Um outro incêndio de alguma dimensão, que se iniciou no domingo na localidade de Castro Laboreiro, no Parque Nacional Peneda Gerês, no concelho de Melgaço, distrito de Viana do Castelo.

Mais de 80 operacionais e três meios aéreos estavam, pelas 11:00, concentrados na “defesa dos lugares de Castro Laboreiro, disse à Lusa o presidente da Câmara local.

“Neste momento não temos casas ameaçadas, mas os meios aéreos e os homens no terreno, envolvidos no combate às chamas, estão a fazer tudo para proteger os vários lugares da freguesia de Castro e conter o perímetro do incêndio”, afirmou Manoel Batista.

O autarca socialista explicou que o “fogo veio de Arcos de Valdevez e entrou em Melgaço, no domingo às 08:55” e além de Castro Laboreiro, “freguesia mais afetada, está também a lavrar em Lamas de Mouro”.

“A freguesia de Castro Laboreiro tem 90 habitantes, mas muito dispersos pelo território. A freguesia tem 44 lugares e o objetivo é procurar defender os primeiros lugares que fazem fronteira com Arcos de Valdevez, por onde entrou o fogo”, frisou. O incêndio em Arcos de Valdevez chegou a ser considerado em fase de rescaldo pela Autoridade Nacional de Proteção Civil, apesar de alertas da associação ambientalista Quercus de que a situação não estava dominada.

No país, a ANPC regista 29 incêndios, onde estão 926 operacionais, com 306 meios terrestres e dois aviões.

A Proteção Civil destaca na página como “ocorrências importantes” os fogos com duração superior a três horas e com mais de 15 meios de proteção e socorro envolvidos, mas apenas contempla os incidentes do continente, já que as regiões autónomas têm serviços próprios nesta área.