O português João Pereira ficou em quinto lugar no triatlo, apenas a nove segundos da medalha de bronze. João Silva terminou na 35ª posição, enquanto Miguel Arraiolos foi 44º. A prova foi ganha pelo britânico Alistair Brownlee, que viu o seu irmão Jonathan chegar em segundo. O sul-africano Henri Schoeman leva o bronze para casa.

Mostrar Esconder

1º – Alistair Brownlee (1:45:01)
2º – Jonathan Brownlee (1:45:07)
3º Henri Schoeman (1:45:43)
4º Richard Murray (1:45:50)
5º – João Pereira (1:45:52)
35º – João Silva (1:51:33)
44º – Miguel Arraiolos (1:53:35)

“Este dia foi como tirar uma mochila de dez quilos, por ter falhado 2012”, diz Pereira no final, como que dizendo que sacudiu a infortuna do passado recente. “Na natação tive boas sensações. Quando cruzei a primeira boia, fui bastante atacado, há sempre muito contacto. Perdi uns segundos importantes. Na água tentei fazer o melhor trabalho possível para entrar forte na bicicleta. Consegui.” Pereira seguia na 32ª quando saiu da água e ganhou dois lugares na transição para a bicicleta. Esta primeira etapa tem 1500 metros.

Quando terminou o segmento de bicicleta (40km), João Pereira seguia na 17ª posição. Foi na corrida que o seu desempenho se levantou voo, pois tinha mais de um minuto de atraso para o grupo da frente. Acelerou e terminou na quinta posição, a nove segundos do terceiro classificado, Shoeman.

“Quando chegou a corrida, eu sabia que ia atacar, ia ser o meu segmento mais forte, onde ia arriscar tudo por tudo. Senti que tentei dar o máximo”, confirma. O português foi segundo mais rápido na corrida (30:38) — dez km –, ficando só atrás de Richard Murray (30:34). “Na reta da meta eu via o bronze, mas sabia que era difícil. Precisava de mais trabalho e melhores condições. Acho que fazer diploma é um grande objetivo para todos os atletas”, diz, assegurando que pretende prolongar a carreira até 2020.

João Silva terminou em 35º, com um tempo de 1:51:33. O português ficou a mais de seis minutos do britânico que ganhou a prova. “Fiquei um bocadinho triste, pelo mau posicionamento na bicicleta. Estive ali envolvido na queda. No final do dia acabei por ser sortudo, por não ter caído. Depois disso fiz o meu melhor”, explicaria no fim.

Miguel Arraiolos terminou a prova em 1:53:35, a mais de oito minutos do medalha de ouro. “As condições estavam muito difíceis, estava muito calor, o percurso era muito duro”, explica Arraiolos. “Eu não vim aqui, na minha estreia, a pensar em resultados. Vinha dar o meu melhor. No entanto, a natação correu pior do que pensava, esperava chegar mais à frente. Dei o que consegui. Estou feliz por dar o meu melhor. Agora é trabalhar para continuar e ir aos próximos Jogos Olímpicos com mais força.”