Thomas Bach, presidente do Comité Olímpico Internacional, afirmou este sábado que foi criada uma comissão disciplinar para analisar o caso do “falso assalto” que envolve os nadadores norte-americanos Ryan Lochte, Gunnar Bentz, Jack Conger e Jimmy Feigen, ocorrido este domingo, no Rio de Janeiro.

“Respeitamos totalmente as leis brasileiras. Não sentimos isso [desrespeito] em relação a Lochte e aos outros nadadores ou uma vinganças das autoridades. Estabelecemos uma comissão disciplinar para analisar do ponto de vista do COI”, declarou Bach, numa conferência de imprensa, citado pela ESPN.

Caso o processo avance, as possíveis punições incluem uma eventual suspensão, multas ou até mesmo a perda da medalha conquistada por Lochte nas estafetas 4 x 200 metros nestes Jogos Olímpicos.

Segundo relatou a Polícia Civil do Rio de Janeiro, os atletas danificaram um posto de abastecimento, apesar de terem relatado que tinham sido assaltados depois de virem de uma festa. Os nadadores estavam alcoolizados e causaram distúrbios no estabelecimento, por isso, os funcionários do posto decidiram chamar a polícia e não permitir que eles abandonassem o local. Um dos seguranças apontou-lhes uma arma, porque, segundo testemunhas, um deles estava exaltado e agressivo. Após pagarem 100 reais (27 euros) e 20 dólares (17,6 euros) pelos danos, os seguranças do local deixaram-nos partir.

Contradições nos depoimentos dos norte-americanos às autoridades brasileiras e a divulgação do vídeo que mostra a chegada dos nadadores à Vila Olímpica com tranquilidade e com os seus objetos pessoas motivaram a abertura de uma investigação pela Polícia Civil. As autoridades brasileiras indiciaram os atletas por falsa comunicação de crime.

Ryan Lochte divulgou, esta sexta-feira, um pedido de desculpas “por não ser mais cuidadoso e sincero” sobre o alegado assalto, mas não admitiu que mentiu ao relatar o incidente. “Quero desculpar-me pelo meu comportamento na semana passada – por não ter sido mais cuidadoso e sincero – quando descrevi os acontecimentos daquela e pelo meu papel em levar para longe o foco dos muitos atletas que cumpriam os seus sonhos de participar nos Jogos Olímpicos”, disse.