O incêndio que começou no concelho de Seia, Guarda, nesta segunda-feira à tarde continua por dominar, mas não ameaça povoações, apesar de já ter “rodeado” a localidade de Teixeira de Cima, disse à Lusa o autarca local. Segundo o presidente da Câmara Municipal de Seia, Carlos Filipe Camelo, pelas 22:00, as chamas não colocavam habitações em perigo e progrediam “em áreas muito grandes” da Serra da Estrela, em direção a um local conhecido por Pedras Lavradas.

Ao fim da tarde, a localidade de Teixeira de Cima “esteve rodeada de fogo, mas a situação está ultrapassada”, disse o autarca à agência Lusa. Carlos Filipe Camelo adiantou que o acidentado do terreno está a dificultar o combate às chamas, que progridem numa zona de mato e de pinhal.

O incêndio começou pelas 14h46 de hoje em Balocas, freguesia de Vide e Cabeça, no concelho de Seia, distrito da Guarda. A página da Autoridade Nacional da Proteção Civil indicava às 22h15 que o incêndio, que se apresentava com duas frentes ativas, estava a ser combatido por 259 operacionais e 85 meios terrestres.