Rádio Observador

Douro

Táxi Fluvial do Douro quer transportar 200 mil passageiros em 2017 entre Porto e Gaia

181

O novo serviço de táxi fluvial no Rio Douro será lançado no início de setembro e pretende transportar cerca de 200 mil passageiros durante o próximo ano.

ESTELA SILVA/LUSA

Autor
  • Agência Lusa

O novo serviço de táxi fluvial no Rio Douro, que ligará as ribeiras de Gaia e Porto a cada 15 minutos, será lançado no início de setembro e pretende transportar cerca de 200 mil passageiros durante o próximo ano.

“O serviço só arranca em setembro (…) mas no próximo ano a nossa previsão é de transportar cerca de 200 mil passageiros de um lado para o outro”, admitiu Adrian Bridge, diretor-geral da empresa The Fladgate Parnership, promotora do projeto Douro River Taxi.

O táxi fluvial, destinado especialmente para os turistas, terá duas embarcações — as Rabelas — a ligar as margens a cada 15 minutos, em viagens com a duração de “três a quatro minutos” com o preço de três euros cada.

“Este é um serviço mais orientado para o turismo. São pessoas que vão utilizar este táxi e poupar um quilómetro a pé para chegar de uma parte do rio até outra”, explicou o responsável.

No início deste ano a empresa esperava ter os barcos a circular ainda antes da Páscoa, mas o processo de licenciamento acabou por demorar, tendo a última licença sido emitida na passada semana pela APDL — Administração dos Portos do Douro, Leixões e Viana do Castelo.

“É um processo normal”, contou Adrian Bridge, referindo ainda que por ser este um “investimento a médio e longo prazo”, o “importante” é arrancar com as travessias agora.

Um dos barcos está pronto — o segundo chega na próxima semana a Gaia — e “só falta montar os cais” de acostagem das embarcações nas duas margens.

Concluídas as instalações dos cais de cerca de 12 metros cada haverá no Douro um serviço de táxi fluvial para quem quiser “viajar com ‘As Rabelas’ de uma margem para a outra” e fazer uma travessia de 230 metros sem ter de utilizar o sobrelotado tabuleiro inferior da Ponte Luiz I.

Gaia e Porto “estão cheios de turistas que querem visitar a margem norte e a margem sul [do Douro]. Muitas vezes a quantidade de pessoas na ponte atrasa o trânsito da cidade e por isso, isto vem beneficiar não só os turistas mas também a cidade”, defendeu.

Cada embarcação, uma chamada “Serra do Pilar” e outra “Casa do Infante”, tem 15 metros de comprimento e pode transportar até 28 passageiros que estarão sempre acompanhados de dois tripulantes durante as travessias que, para já, e durante o verão, irão começar às 09h00 e terminar cerca das 20h30.

Do lado de Gaia, o cais ficará em frente ao Clube Fluvial Portuense e, do lado do Porto, frente à Praça da Ribeira, no topo montante do Cais da Estiva, naquele que é um posto de fronteira marítima fora de espaço Schengen.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)