Seis meses depois de ter sido lançada, a nova coleção de burkinis criada pela Marks & Spencer — loja britânica especializada em venda de roupa, produtos para casa e comida — esgotou.

Embora o burkini tenha sido banido em algumas partes de França, esta proibição foi responsável por fazer “disparar as encomendas” e esta terça-feira a Marks & Spencer disse ao Independent que os burkinis disponibilizados na sua coleção primavera/verão esgotou.

A cadeia de lojas inglesa vende estes fatos-de-banho de corpo inteiro há três anos, tendo começado por disponibilizá-los apenas no Dubai e na Líbia. Este ano a empresa decidiu começar a vender também em Londres e disponibilizar a sua comercialização via Internet. A procura a partir do momento em que foi anunciada a proibição desse tipo de fato de banho nas praias de França, aumentou bastante.

O Independent informa que embora tenha começado por ser criado para mulheres muçulmanas, rapidamente o burkini ganhou adeptas entre clientes “preocupadas com os perigos inerentes à exposição solar”.

Em julho deste ano o burkini foi proibido em algumas cidades francesas, sendo que pelo menos quatro mulheres já foram alvos de multas por usarem as roupas numa praia em Cannes. A coima aplicada foi de 38 euros.