Hélder Amaral, o deputado do CDS que fez declarações polémicas durante o congresso do MPLA em Angola, vai regressar ao país a 4 de setembro, para representar o seu partido no Congresso da Convergência Ampla de Salvação de Angola – Coligação Eleitoral (CASA-CE). Esta força, que participou nas eleições parlamentares angolanas de 2012 — conseguindo 6% dos votos e oito deputados — vai transformar-se em partido político e é liderada por Abel Chivukuvuku, ex-militar e ex-dirigente da UNITA.

Apesar do parlamentar democrata-cristão ter lançado uma discussão na semana passada, que obrigou o partido a reagir, causando uma enxurrada de críticas, por ter dito que havia uma proximidade “cada vez maior” entre o CDS e o MPLA, Assunção Cristas decidiu manter o dossiê de Angola nas mãos de Hélder Amaral, avançou o Correio da Manhã. A líder do CDS teve uma conversa telefónica com o deputado e terá considerado que houve um mal-entendido com as declarações proferidas em Luanda. O CDS já tinha feito saber que ia ao congresso do CASA-CE (a terceira maior força de Angola), mas não tinha anunciado que o seu representante seria Hélder Amaral — que tem dupla nacionalidade e também é angolano.

Assunção Cristas aceitou as explicações do deputado de que não se podia depreender, a partir das suas declarações, que o CDS tinha mudado de linha em relação ao MPLA. Foi a própria líder que lhe pediu para voltar a Angola em representação do CDS e assistir nessa qualidade ao congresso do partido de Chivukuvuku, com quem o próprio Hélder Amaral já se reuniu em Lisboa.

O reforço da posição do deputado foi no sentido de não deixar que este se transformasse num “bode expiatório”, como disse ao Observador uma fonte do CDS. Quem devia ter representado o CDS no congresso do MPLA era Luís Queiró, responsável pelas Relações Internacionais do partido, mas agora parecia uma desautorização se não fosse Hélder do Amaral a ir a Angola. O deputado é vice-presidente do grupo parlamentar de amizade Portugal-Angola e faz parte do parlamento da CPLP, que junta deputados dos vários países.