A campanha de Donald Trump terá usado os seus recursos financeiros para comprar mais exemplares de um dos livros do candidato do que todos os outros compradores. Esta situação ocorreu na segunda semana de maio, de acordo com informação obtida pelo Daily Beast. A ordem de compra foi tão significativa que até colocou o livro publicado em 2015 na lista de bestsellers da Nielsen BookScan, acrescenta a publicação americana.

O livro em causa, Crippled America: How to Make America Great Again, foi publicado em novembro do ano passado quando o milionário americano já estava na corrida à Casa Branca. Segundo o Daily Beast, no dia 10 de maio, a campanha de Trump gastou 55 mil dólares (quase 50 mil euros) na livraria de Nova Iorque Barnes & Nobles na aquisição de 3964 exemplares do livro (o que dá quase 14 dólares por exemplar). A compra representou uma exceção face à prática adotada na campanha do candidato republicano de acordo com a qual as encomendas de livros devem ser feitas diretamente junto do editor para evitar uma subida inflacionada das vendas.

Se Donald Trump retirou ganhos desta transação, via direitos de autor, pode ter violado a lei federal que proíbe a utilização de fundos angariados para campanhas em benefício pessoal dos candidatos. A campanha do candidato à presidência dos Estados Unidos e a editora Simon & Schuster and Barnes não comentaram a informação do Daily Beast.

A compra efetuada nesta livraria de Nova Iorque excedeu claramente as vendas normais do livro na mesma semana de maio. Em Filadélfia foram comprados 70 exemplares, em Los Angeles foram adquiridos 78.