A polícia escocesa introduziu o hijab (o véu utilizado pelas mulheres muçulmanas para cobrir a cabeça) no seu uniforme oficial. De acordo com um comunicado, publicado pela polícia da Escócia na sua página, a medida “irá encorajar mulheres de comunidades muçulmanas, que anteriormente podiam não encarar a opção de uma carreira na polícia, a reconsiderar”. No mesmo comunicado, lê-se que “os agentes e os funcionários sempre tiveram a opção de utilizar vestes religiosas para a cabeça”, e que o anúncio “ratifica formalmente o hijab da Polícia da Escócia”.

O chefe da polícia escocesa, Phil Gormley, mostrou-se “muito feliz por fazer este anúncio e receber o apoio da comunidade muçulmana e de toda a comunidade, e também dos agentes da polícia e dos funcionários”. “Trabalhamos no sentido de assegurar que o nosso serviço é representativo das comunidades que servimos. Espero que esta inclusão nas nossas opções de uniforme contribua para tornar o nosso pessoal mais diverso”, explicou o responsável das autoridades escocesas.

Na Escócia, as mulheres polícias já podiam utilizar o hijab, mas apenas mediante a aprovação de um superior hierárquico. A possibilidade de utilizar o véu islâmico já existe na Polícia Metropolitana de Londres desde 2001:

A introdução do hijab no uniforme policial foi bem recebida pela Associação Muçulmana da Polícia da Escócia. O presidente do organismo, Fahad Bashir, considerou que “este é um passo positivo na direção certa”, e mostrou-se satisfeito por a Polícia da Escócia tomar decisões no sentido de ser “vista como inclusiva e representar as comunidades diversas” que serve no país. “Não há dúvida de que isto irá encorajar mais mulheres muçulmanas e de proveniências étnicas minoritárias a juntar-se à polícia”, concluiu o líder muçulmano.

A organização destaca, no comunicado, que “construiu parcerias fortes com as comunidades locais, incluindo todos os grupos religiosos e não-religiosos, e está comprometida a encorajar mais mulheres e recrutas das comunidades negras e de minorias étnicas a juntar-se às suas fileiras”.

Como explica o jornal britânico The Independent, apenas 2,6% das candidaturas à polícia escocesa foram de pessoas de minorias étnicas. Os dados são de um relatório estatístico divulgado pelas autoridades escocesas. Nesse relatório, lê-se que a polícia escocesa tem como meta a integração de mais 650 pessoas destas minorias nas forças policiais.

A Polícia Real Montada Canadiana (RCMP na sigla em inglês) aprovou a mesma medida para que a força policial represente a diversidade da sociedade.

O porta-voz do Ministério de Segurança Pública disse que a “Polícia Real Montada Canadiana é um serviço policial progressivo e inclusivo com valores que respeitam as pessoas de todos os contextos culturais e religiosos”. Lembrou ainda que os homens da religião Sikh que fazem parte da RCMP podem usar turbante como parte do uniforme desde 1990.

A força policial desenvolveu um hijab que cumpre com os requisitos de segurança. Por enquanto, ainda nenhuma mulher que integra a polícia pediu para usá-lo, conta a CBC.

O uniforme da RCMP foi criado no século XIX e é um símbolo patriótico do país.

No Canadá, já as polícias metropolitanas do Toronto e Edmonton permitiam o uso do hijab. Também as forças policiais de vários estados nos Estados Unidos, na Noruega e Suécia aprovaram o uso do lenço para garantir uma maior representatividade na profissão.