O incêndio que lavra no concelho de Góis desde a manhã desta sexta-feira não ameaça povoações, mas obrigou ao reforço dos operacionais e dos meios aéreos, de acordo com a Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC).

Às 15h, o fogo continuava a lavrar com duas frentes ativas naquele município do distrito de Coimbra e estava a ser combatido por 271 operacionais, apoiados por 85 viaturas e oito meios aéreos, três pesados e dois ligeiros.

Fonte do Comando Distrital de Operações de Socorro de Coimbra disse à agência Lusa que não existem povoações na linha de fogo.

Os meios no local foram reforçados com os Grupos de Reforço para Incêndios Florestais de Aveiro e Viseu e o Grupo de Ataque Ampliado da Força Especial de Bombeiros.