Uma em cada cinco pessoas que, em Portugal, estavam sem emprego no quarto trimestre de 2015 reentraram no mercado de trabalho entre janeiro e março, acima da média europeia (15,4%), segundo dados do Eurostat sobre fluxos no mercado de trabalho.

De acordo com os dados hoje divulgados, no primeiro trimestre do ano, os regressos ao mercado de trabalho no subiram 1,5 pontos percentuais na comparação com os do último trimestre de 2015.

Segundo o gabinete oficial de estatísticas da União Europeia (UE), nos primeiros três meses do ano, 62,3% das pessoas desempregadas permaneceram sem trabalho, face ao trimestre anterior (UE 65,7%), o que representa uma quebra de 4,6 pontos.

No conjunto da UE, as reentradas no mercado de trabalho aumentaram 1,6 pontos e as permanências no desemprego caíram 2,6 pontos, na comparação trimestral.