A Standard & Poor’s colocou esta quarta-feira o rating da Caixa Geral de Depósitos em avaliação e diz que pode melhorá-lo assim que a Comissão Europeia aprovar formalmente a recapitalização anunciada na semana passada pelo ministro das Finanças, acordada com Bruxelas e com o Banco Central Europeu.

A recapitalização do banco público é vista com bons olhos pela agência de rating norte-americana, que espera apenas pela aprovação formal do negócio e pelo anúncio dos detalhes da operação para fazer subir o rating de BB- que atribui à dívida de longo prazo emitida pela Caixa.

A Standard & Poor’s diz que, apesar de ser expetável que parte do novo capital injetado na CGD seja para cobrir custos de reestruturação e das provisões, ainda assim o banco deve passar a operar com maior capital daí em diante.

O rating é colocado em revisão para possivelmente subi-lo em breve porque, explica a agência de rating, uma vez fechada a operação os rácios de capital do banco, ajustados de risco, sobem para mais de 5% e ficarem confortavelmente no intervalo entre os 5% e os 7%. Para esta que estes rácios subam, a agência explica que foi fundamental a transformação em capital das obrigações de capital convertível (CoCo bonds). Ou seja, o empréstimo feito pelo Estado é transformado em capital, com o Estado a não ver reembolsado o empréstimo e o banco a ver reforçado o seu capital.

Já o impacto da transferência das ações do Estado na ParCaixa, que a CGD já detém em 51%, a agência tem dúvidas sobre o impacto que pode vir a ter no capital da Caixa.