O grupo radical islamista Abu Sayyaf foi responsável pelo atentado à bomba na sexta-feira, em Davao, a terra natal do Presidente filipino, Rodrigo Duterte. Morreram pelo menos 14 pessoas.

“O Gabinete do Presidente enviou uma mensagem de texto para confirmar que foi uma da retaliação do Abu Sayyaf. Nós, no município, estamos a tratar este caso como uma retaliação do Abu Sayyaf”, disse à CNN Filipinas Sarah Duterte, que além de autarca é filha do Presidente Duterte.

O ministro da Defesa, Delfin Lorenzana, também atribuiu o ataque de sexta-feira ao Abu Sayyaf, um grupo islâmico que prometeu lealdade ao grupo Estado islâmico.

“Ninguém assumiu a responsabilidade, mas só podemos concluir que foi cometido pelo grupo terrorista Abu Sayyaf, que causou muitas perdas em Jolo nas últimas semanas”, disse Lorenzana.

O Presidente Duterte lançou uma ofensiva militar contra o Abu Sayyaf.

Na segunda-feira, cinco soldados foram mortos em confrontos com o grupo islâmico na ilha de Jolo, um importante reduto do Abu Sayyaf, a 900 quilómetros de Davao.