Um dia depois de ter saído do Hospital de Santa Maria, onde chegou a estar em coma induzido após ter sido brutalmente agredido, em Ponte de Sor, Rúben Cavaco falou à RTP. Foram poucas as palavras do jovem — que completa este sábado 16 anos -, que afirmou não se lembrar de nada daquela noite.

“Nada. Não me lembro de nada. Só me lembro da cara deles. A cara deles conheci, mas não me lembro de nada”, afirmou Rúben Cavaco, quando questionado pela jornalista da RTP. O jovem, que não mostrou o rosto durante a entrevista, acrescentou que só teve noção do que lhe aconteceu depois de lhe terem contado e diz que “foi estranho” quando soube. A mãe de Rúben confirmou que só contou ao filho o que tinha acontecido “há dois ou três dias” e referiu que a primeira palavra que o jovem proferiu quando saiu do coma foi “carro”.

Rúben Cavaco foi violentamente agredido na noite de 17 de agosto, em Ponte de Sor, tendo sido transferido para o Hospital de Santa Maria, em Lisboa, de onde só ontem teve alta, e agora recupera na casa dos avós paternos nos arredores de Lisboa, segundo o mesmo órgão de comunicação.

Numa entrevista à SIC, os filhos do embaixador iraquiano já admitiram as agressões, mas afirmaram que nunca tiveram a “intenção de ferir tão gravemente uma pessoa” e pediram “sinceras e sentidas desculpas” à vítima e à sua família. Os dois gémeos garantiram ainda que ficarão em Portugal até o caso ser esclarecido.

O Ministério dos Negócios Estrangeiros português entregou, entretanto, o pedido de levantamento da imunidade diplomática dos filhos gémeos, de 17 anos, do embaixador do Iraque para que o Ministério Público os possa ouvir como arguidos.