441kWh poupados com o Logótipo da MEO Energia Logótipo da MEO Energia
i

A opção Dark Mode permite-lhe poupar até 30% de bateria.

Reduza a sua pegada ecológica.
Saiba mais

Logótipo da MEO Energia

Adere à Fibra do MEO com a máxima velocidade desde 29.99/mês aqui.

Jovem desaparecida na Galiza já é procurada em Portugal

Este artigo tem mais de 5 anos

Diana Quer desapareceu sem deixar rasto a 22 de agosto, na Galiza. O acontecimento está envolvido em mistério, já há diversas teorias sobre o desaparecimento. Agora, está a ser procurada em Portugal.

A família insiste na teoria de rapto, mas as autoridades não descartam a hipótese de fuga
i

A família insiste na teoria de rapto, mas as autoridades não descartam a hipótese de fuga

A família insiste na teoria de rapto, mas as autoridades não descartam a hipótese de fuga

Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Diana Quer, a jovem espanhola que desapareceu sem deixar rasto há duas semanas na Galiza, já está a ser procurada em mais países europeus, incluindo Portugal. Os alertas foram inicialmente estendidos a Portugal e a Itália, e já se expandiram a outros países da Europa. A iniciativa partiu da associação SOS Desaparecidos, que está a divulgar cartazes relativos ao desaparecimento de Diana em várias línguas, através do Facebook. De acordo com o jornal El Español, os cartazes foram divulgados em França, Itália, Bélgica e Suíça. A associação divulgou também um cartaz em português.

A Guardia Civil, contudo, ainda não estendeu as buscas e mantém a investigação em segredo. Apenas a SOS Desaparecidos, uma associação sem fins lucrativos que apoia as famílias de desaparecidos, lançou os apelos. Já o El País cita fontes próximas das operações de busca para garantir que os esforços oficiais de procura pela jovem se deverão estender a outros países entretanto.

Várias teorias foram, para já, sugeridas para explicar o desaparecimento de Diana Quer. A jovem foi vista pela última vez perto de uma feira em A Pobra do Caraminal, na Galiza, onde se encontrava de férias com a mãe e com a irmã. A família insiste que Diana foi raptada, mas as autoridades equacionam até que Diana tenha fugido da família — o contexto familiar tem sido tão conturbado nos últimos tempos que já levou, inclusivamente, a que a mãe de Diana perdesse a custódia da sua filha mais nova, Valeria.

De acordo com o El País, as autoridades espanholas irão, nos próximos dias, efetuar uma reconstituição dos últimos movimentos de Diana, segundo os testemunhos de amigos, familiares e vizinhos. Até agora, são várias as teorias sobre o desaparecimento súbito de Diana, de acordo com o El Español:

Rapto

Na noite de 22 de agosto, Diana regressava a sua casa após um jantar com amigos. Pelo caminho, passou por uma zona de edifícios abandonados e foi abordada por um homem que a chamou. Foi nesse momento que Diana enviou uma mensagem pelo WhatsApp a uma amiga a dizer que estava a ser seguida e que estava com medo. A troca de mensagens foi breve, pois Diana nunca mais chegou a responder à amiga, preocupada com a situação. Às 2h42 comunicava pela última vez.

Fuga por motivos familiares

Dois fatores sustentam esta teoria: um novo movimento registado pelo telemóvel às 3h30 da manhã e as violentas discussões familiares testemunhadas por vizinhos ao longo dos dias anteriores. O registo de telemóvel poderia indiciar que a jovem teve tempo de chegar segura a casa antes de desaparecer de vez, mas a mãe já veio desmentir essa informação. As discussões familiares mantêm-se como um dos principais indícios de que o contexto familiar pode ter motivado a fuga de Diana.

Fuga por motivos sentimentais

Um ex-namorado de Diana explicou numa entrevista que a rapariga “era muito confiante”, e que “ia com qualquer um”. “Penso que se juntou com as pessoas erradas e que tudo acabou mal”, disse o jovem à televisão espanhola Telecinco. O ex-namorado acrescentou também que Diana estava agora com outro rapaz, na Galiza, factos que estão a sustentar a teoria de fuga.

Um acidente

No caminho entre a povoação e a casa de Diana, a jovem poderá ter optado por dois caminhos, numa bifurcação: um passeio pedonal junto ao mar ou uma estrada pelo meio de casas. Por isso, há uma patrulha de barco a efetuar buscas no mar, junto a esse passeio, e também equipas a procurar vestígios na outra estrada. A jovem poderá ter sofrido um acidente durante o caminho.

Homicídio

A hipótese de ter havido um crime no caminho que Diana fazia até casa também é uma das linhas de investigação das autoridades. Forças policiais e exército estão a percorrer os caminhos rurais, antecipando a possibilidade de o autor do crime ter abandonado o corpo da jovem numa dessas zonas. Uma série de voluntários, habitantes da aldeia, estão a ajudar as autoridades nas operações de busca nestas zonas.

Suicídio

Parece ser a hipótese menos considerada tanto pelas autoridades como pelos habitantes, mas as autoridades não descartam a hipótese. O autarca de A Pobra, Xose Lois Piñeiro, explicou ao El Español que não sabe “se estão à procura de um corpo ou de provas. As autoridades não descartam essa possibilidade, mas é duro dizê-lo”. O pai de Diana, por seu turno, descartou por completo a hipótese.

A página está a demorar muito tempo.

Ofereça este artigo a um amigo

Enquanto assinante, tem para partilhar este mês.

A enviar artigo...

Artigo oferecido com sucesso

Ainda tem para partilhar este mês.

O seu amigo vai receber, nos próximos minutos, um e-mail com uma ligação para ler este artigo gratuitamente.

Ofereça artigos por mês ao ser assinante do Observador

Partilhe os seus artigos preferidos com os seus amigos.
Quem recebe só precisa de iniciar a sessão na conta Observador e poderá ler o artigo, mesmo que não seja assinante.

Este artigo foi-lhe oferecido pelo nosso assinante . Assine o Observador hoje, e tenha acesso ilimitado a todo o nosso conteúdo. Veja aqui as suas opções.

Atingiu o limite de artigos que pode oferecer

Já ofereceu artigos este mês.
A partir de 1 de poderá oferecer mais artigos aos seus amigos.

Aconteceu um erro

Por favor tente mais tarde.