O Presidente chinês, Xi Jinping, ofereceu esta segunda-feira um ramo de oliveira — sinal de paz –, ao primeiro-ministro do Japão, Shizo Abe, no primeiro encontro entre ambos, no espaço de mais de um ano, informou a imprensa estatal chinesa.

Pequim e Tóquio vivem renovadas tensões, em torno de disputas territoriais, mas Xi considerou que ambos devem “pôr de lado os atritos” e voltar ao normal desenvolvimento das relações, disse a agência oficial Xinhua.

Abe afirmou que Tóquio deseja “gerir os assuntos difíceis” e promover uma cooperação de benefício mutuo, de acordo com a agência oficial japonesa Kyodo.

A relação entre as duas potências — a segunda e terceira maiores economias do mundo — é crucial para a estabilidade regional, mas a disputa em torno da soberania do arquipélago Diaoyu (Senkaku para o Japão), no Mar da China Oriental, tem motivado um distanciamento.

Os comentários desta segunda-feira contrastam com a postura demonstrada pelos dois líderes da última vez que se encontraram, em 2014, à margem do Fórum da Cooperação Económica Ásia-Pacífico (APEC), num momento que ficou marcado pela forma fria com que se cumprimentaram.

As relações voltaram a deteriorar-se nos últimos meses, devido às críticas do Japão à postura da China no Mar do Sul da China, onde Pequim tem construído ilhas artificiais e instalações militares.

Abe criticou abertamente Pequim por recusar acatar com a decisão de um tribunal internacional, que ditou que as reclamações chinesas de quase todo o Mar do Sul da China não têm base legal.

O encontro desta segunda-feira decorreu após o final da cimeira do G20, que se realizou na cidade de Hangzhou, na costa leste da China.